Publicações → Revista Direito Diário, Fortaleza, vol. 3, n.4, set./out., 2020 → Artigo: A função do Direito Penal e o papel das leis de...
A função do Direito Penal e o papel das leis de defesa da mulher: Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio. Em que medida essas leis são legitimadas pelo conceito material de crime e pelas finalidades do Direito Penal
ISSN: 2595-1408
Por Thânia Evellin Guimarães de Araujo Lima
Leia esse artigo
Resumo

Este artigo tem como viés principal a delimitação de um escopo entre a Teoria Geral do Direito Penal e as duas Leis inovadoras relacionadas à aquisição de direitos das mulheres no tocante a proteção contra a violência: Lei 11.340/06 (Maria da Penha) e Lei 13.104/2015 (Feminicídio). Busca-se nesse sentido a análise de como tais Leis, que endurecem a pena para determinados crimes, podem ser convalidadas perante o conceito de igualdade do direito (e do valor da vida de homens e mulheres), a teoria das finalidades da pena adotada no ordenamento pátrio e os princípios gerais do direito penal, com principal enfoque nos princípios da mínima intervenção do direito penal e da proporcionalidade de bens jurídicos quando no tocante ao encarceramento. Nesse ensejo, buscar-se-á traçar o papel da mulher no ordenamento jurídico penal brasileiro dos últimos anos, delimitando a virada entre o papel da mulher “honesta” para o papel da mulher como sujeito de direitos materialmente iguais, e o papel estatal no atual estágio social de proteção e defesa da mulher frente a sua conformação na violência de gênero.

Palavras-chave: Teoria geral do crime. Finalidades da pena. Princípios do direito penal. Lei Maria da Penha. Lei do Feminicídio. Papel da mulher no direito penal.

Abstract

This article has as its main bias the delimitation of a scope between the General Theory of Criminal Law and the two innovative Laws related to the acquisition of women's rights with regard to protection against violence: Law 11.340/06 (Maria da Penha) and Law 13.104 / 2015 (Feminicide). In this sense, we seek to analyze how such Laws, which harden the penalty for certain crimes, can be validated before the concept of equality of law (and the value of the life of men and women), the theory of the purposes of the penalty adopted in the national law and the general principles of criminal law, with a primary focus on the principles of minimum intervention in criminal law and the proportionality of legal assets when it comes to incarceration. In this opportunity, we will seek to trace the role of women in the Brazilian criminal legal system in recent years, delimiting the shift between the role of “honest” women to the role of women as the subject of materially equal rights, and the state role in current social stage of protection and defense of women in view of their conformity in gender violence.

Keywords: General theory of crime. Purpose of the penalty. Principles of criminal law. Maria da Penha Law. Feminicide Law. Role of women in criminal law.

Referências
ANDRADE, Léo Rosa. Feminicídio, monogamia, violência contra mulheres. Disponível em: <http://leorosa.jusbrasil.com.br/artigos/172692529/feminicidio-monogamia-violencia-contra-mulheres>. Acesso em: 01 de julho de 2016.   ANDRADE, Vera Regina Pereira de. A soberania patriarcal: o sistema de justiça criminal no tratamento da violência sexual contra a mulher. Sequência, Florianópolis, ano XXV, n. 50, p. 71-102, julho, 2005.   ANDRADE, Vera Regina Pereira de. Sistema penal máximo x cidadania mínima: códigos da violência na era da globalização. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2003.   ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 2007   AZEVEDO, Marcelo André. Direito Penal, Parte geral. São Paulo: Editora Jus Podium; 2015.   BRASIL. Lei do Feminicídio. Lei 13.104, de 5 de Março de 2015. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13104.htm   BRASIL. Lei Maria da Penha. Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.html   CAMPOS, Carmen Hein de. (Org.) Criminologia e Feminismo. Porto Alegre: Sulina, 1999. Razão e Sensibilidade: Lei Maria da Penha e teoria feminista do Direito. In CAMPOS, Carmen Hein de (Org). Lei Maria da Penha Comentada em uma perspectiva jurídico-feminista. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.   CARNELUTTI, Francesco, Lições Sobre o Processo Penal, volume 1, 1º edição, Campinas: Bookseller, 2004   CARVALHO NETO, Inacio, Aplicação da Pena, Rio de Janeiro: Editora Forense, 1999   DIAS, Jorge de Figueiredo. DIREITO PENAL, PARTE GERAL, TOMO 1. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.   DIAS, Maria Berenice. A Lei Maria da Penha na Justiça. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2010.   Fortuna Interamericana para prevenir, punir e erradicar a violência contra a mulher, ‘Convenção Belém do Pará’. São Paulo: KMG, 1996. DESLANDES, F. S.   GROKSKREUTZ, Hugo Rogerio. Das teorias da pena no Ordenamento Juridico brasileiro.. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XIII, n. 77, jul 2010. Disponível em: <http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=7815>. Acesso em jun 2015.   LAVORENTI, Wilson. Violência e Discriminação contra a Mulher: tratados internacionais de proteção e o direito penal brasileiro. Campinas: Milennium, 2009.   NORONHA, M. Magalhães, Direito Penal, volume 1, 35º edição, São Paulo: Saraiva, 2000.   PRADO, Luiz Regis Prado, Curso de Direito Penal Brasileiro, Volume 1, 5º edição, São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.   PRADO, Luiz Regis. Bem jurídico-penal e constituição. São paulo: Ed. RT, 2003.   ROCHA, Cármen Lúcia Antunes. O Princípio Constitucional da Igualdade. Belo Horizonte: Editora Lê, 1990.   RUSSELL, Diana E. H.; CAPUTI, Jane.. Femicide: The Politics of Women Killing. New York, Twayne Publisher, 1992.   SABADELL, Ana Lucia. Manual de Sociologia Jurídica: introdução a uma leitura externa do Direito. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.   SILVA, Haroldo Caetano da, Manual de Execução Penal, 2º edição, Ed. Bookseller, Campinas, 2002.   SOUZA, Paulo S. Xavier, Individualização da Penal: no estado democrático de direito, porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2006.