Publicações → Revista Direito Diário, Vol. 3, n. 1, jan/fev. 2020 → Artigo: A JUSTIÇA PARA PLATÃO E KARL MARX: UMA ANÁLISE ...
A JUSTIÇA PARA PLATÃO E KARL MARX: UMA ANÁLISE COMPARATIVA PARA SABER SE HÁ INFLUÊNCIA DA FILOSOFIA PLATÔNICA NO PENSAMENTO MARXISTA
ISSN: 2595-1408
Por Sérgio Assunção Rodrigues Júnior
Leia esse artigo
Resumo
Este trabalho teve o intuito de realizar um estudo comparativo sobre os pensamentos de Platão e Marx, para se obter uma conclusão no tocante ao questionamento da existência de influência de um pensamento sobre o outro. Para tanto, fora necessário realizar pesquisas bibliográficas na temática humanística, inclusive nas obras dos respectivos autores, assim como artigos que foram escritos analisando os dois. Com base nisso, optou-se por dividir o estudo em três capítulos, sendo o primeiro e segundo dedicados exclusivamente à demonstração de quem foi Platão e Marx, respectivamente, explanando sobre os seus pensamentos, principalmente no tocante à dialética, à propriedade privada e à justiça. Após isso, no terceiro capítulo, fora inserida uma abordagem crítica sobre a possível influência de Platão em Marx. Assim, constatou-se que há uma relação entre os dois pensamentos, nos quais os aspectos abordados tem uma finalidade entre si, que é a busca do bem geral ou bem comum, pois, mesmo sendo distinto o modo de chegar a essa finalidade, é inegável que este bem, é o ponto de chegada, razão pela qual entende-se que existe uma influência, no tocante à dialética, assim como na propriedade privada ser a origem das desigualdades sociais e por fim a justiça, como uma ideia de bem comum pra todos.   Palavras-Chave: Platão. Bem comum. Marx. Desigualdade de classes. Influência.
Abstract
This work aimed to make a comparative study on the thoughts of Plato and Marx, to reach a conclusion regarding the question of the existence of influence of one thought on the other. Therefore, it was necessary to carry out bibliographical research on the humanistic theme, including the works of the respective authors, as well as articles that were written analyzing both. Based on this, it was decided to divide the study into three chapters, the first and second being devoted exclusively to demonstrating who Plato and Marx were, respectively, explaining their thoughts, especially concerning dialectics, private property and justice. Following this, in the third chapter, a critical approach to Plato's possible influence on Marx was inserted. Thus, it was found that there is a relationship between the two thoughts, regarding the aspects addressed, that have a purpose in common, which is the pursuit of the general or common good, because even if the way to reach this purpose is different, it is undeniable that this is the point of arrival, which is why it is understood that there is influence, as to dialectics, in private property being the creator of social inequalities and in justice, having an idea of ​​common good for all.   Key Words: Plato. Common good. Marx. Class inequality. Influence.
Referências
BARÃO, Kendra Corrêa. O Conceito de Justiça para os antigos: Sofistas, Sócrates, Platão e Aristóteles. In: Congresso Nacional do CONPEDI, 18., 2009, São Paulo. Anais... Florianópolis: Fundação Boiteux, 2009. Disponível em: <http://www.publicadireito.com.br/conpedi/manaus/arquivos/anais/sao_paulo/2495.pdf>. Acesso em: 01 ago 2019.   BARCELLOS, Ana Paula de. Curso de Direito Constitucional. Rio De Janeiro: Forense, 2018.   BARROSO, Luís Roberto. Curso de Direito Constitucional. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.   BELINI, Luiz Antonio. A Justiça na República de Platão (427 – 347 a.C.). Sarandi: Humanitas Vivens, 2009.   BITTAR, Eduardo C. B.; ALMEIDA, Guilherme Assis de. Curso de Filosofia do Direito. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2019.   BRANCO ALBINATI, Ana Selva Castelo Branco. A Justiça em Marx. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/formulario_cemarx/selecao/2009/trabalhos/a-ideia-de-justica-em-marx.pdf>. Acesso em 18 set 2019.   BULOS, Uadi Lammêgo. Constituição Federal anotada, 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.   DALLARI, Dalmo de Abreu. A Constituição na vida dos povos: da Idade Média ao século XXI. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.   Dialética de Platão. Toda Matéria. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/dialetica-de-platao/>. Acesso em 20 set 2019.   FERNANDES, Bernardo Gonçalves. Curso de direito constitucional. 9. ed. Salvador. Juspodvim, 2017.   FERRAZ JÚNIOR. Tércio Sampaio. Estudos de filosofia do direito: reflexões sobre o poder, a liberdade, a justiça e o direito. São Paulo: Atlas, 2002.   FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito constitucional. 34. ed., rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2008.   JUNKES, Sérgio Luiz. Defensoria Pública e o Princípio da Justiça Social – Atualizado de acordo com a Emenda Constitucional 45, de 31/12/2004. Curitiba: Editora Juruá, 2005.   LENZA, Pedro. Direito Constitucional esquematizado. 23. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2019.   LOPES, Paula Fernandes. A Ética Platônica: Modelo de ética da boa vida. São Paulo: Editora Loyola, 2005.   LORDELO, João Paulo. Noções Gerais de Direito e Formação Humanística. 1. ed. Salvador: Ed. Juspodivm, 2017.   MARTINS, J. A. O Estado de Platão. A Razão, dez, 2017. Disponível em: <https://arazao.org/o-estado-de-platao/>. Acesso em 20 set 2019.   MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos. Traduzido por Alex Martins. São Paulo: Martin Claret, 2001.   MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto comunista. Traduzido por Álvaro Pina. 1. ed. São Paulo: Editora Boitempo, 1998.   MONTALVÃO, Bernardo. Resolução nº 75 do CNJ: descomplicando a filosofia do direito. Salvador: Ed. Juspodivm, 2017.   MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 33. ed., rev. e atual. São Paulo: Atlas, 2017.   MORAES, Guilherme Peña de. Curso de Direito Constitucional. 10. ed., rev., atual. e ampl. São Paulo: Atlas, 2018.   NADER, Paulo. Filosofia do Direito. 22. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014.   O Estado, segundo Marx. Esquerda Diário, 25 jan. 2016. Disponível em: <https://www.esquerdadiario.com.br/O-Estado-segundo-Marx>. Acesso em 20 set 2019.   PADILHA, Rodrigo. Direito Constitucional. 5. ed., rev., atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense, São Paulo: Método, 2018.   Platão. Dicionário Político. Disponível em:  <https://www.marxists.org/portugues/dicionario/verbetes/p/platao.htm>. Acesso em 20 set 2019.   PLATÃO. República. Bauru: Edipro, 1994.   RAMOS, André de Carvalho. Curso de direitos humanos. 6. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2019.   SALATIEL, José Renato. Marx-Teoria da Dialética – Contribuição Original à Filosofia de Hegel. UOL, Educação, 27 out. 2008. Disponível em: <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/marx---teoria-da-dialetica-contribuicao-original-a-filosofia-de-hegel.htm>. Acesso em 20 set 2019.   SARLET, Ingo Wolfgang; MARINONI, Luiz Guilherme; MITIDIERO, Daniel. Curso de Direito Constitucional. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.   SARMENTO, Daniel. Dignidade da Pessoa Humana: Conteúdo, Trajetórias e Metodologia. Belo Horizonte: Fórum, 2016.   SARTORI, Vitor Bartoletti. Apontamentos sobre Justiça em Marx. NOMOS, Fortaleza, v.37, n.1, p. 321-353, jan./jun., 2017. Disponível em: <www.periodicos.ufc.br/nomos/article/download/3056/30837/>. Acesso em 06 ago 2019.   SOUZA NETO, Cláudio Pereira de; SARMENTO, Daniel. Direito Constitucional: Teoria, Histórica e Métodos de Trabalho. 1. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2012.   TAVARES, André Ramos. Curso de Direito Constitucional. 15. ed., rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2017.   YAKIBU, Roger Moko. Ética, Direito e Justiça: Sócrates e Platão contra os Sofistas. Jus, Artigos, dez/2011. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/20758/etica-direito-e-justica-socrates-e-platao-contra-os-sofistas>. Acesso em: 01 ago 2019.