Publicações → Revista Direito Diário, Fortaleza, vol. 3, n.3, jul-ago, 2020 → Artigo: A regulação do teletrabalho: um estudo à luz da...
A regulação do teletrabalho: um estudo à luz da Reforma Trabalhista
ISSN: 2595-1408
Por Ana Beatriz Vieira Rodrigues
Leia esse artigo
Resumo
Este trabalho tem como objetivo investigar os efeitos trazidos ao teletrabalho pela Lei 13.467 de 13 julho de 2017 (Reforma Trabalhista). Tentamos compreender, também, se o referido instituto foi regulamentado da forma devida pela nova lei, de modo que não traga grandes impactos ao mundo do trabalho, principalmente de forma que não retire direitos do trabalhador. O estudo foi feito por meio de pesquisa bibliográfica, entrevistas com trabalhadores em regime de teletrabalho, coleta de dados no Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região, além de um estudo profundo da doutrina e da jurisprudência. Por fim, chegamos ao resultado de que a Reforma Trabalhista deixou lacunas, principalmente os que se referem ao teletrabalho. Para solucionar o problema (ou diminuir seus efeitos) há a necessidade de uma grande colaboração entre Estado, empregador e empregado. Palavras-chave:        Teletrabalho. Reforma Trabalhista. Desenvolvimento Tecnológico. Direitos. Trabalho.
Abstract
This thesis aims to investigate the effects brought by the telework in Law n° 13.467 July 13th of 2017 (Labor Reform). We also seek to understand if the aforementioned institute has been duly regulated by the new law, so that it does not bring major impacts to the world of work, especially in a way that does not remove workers rights. The study was done through bibliographical research, interviews with remote workers, data collection at the Regional Labor Court of the 7th Region, as well as an in-depth study of doctrine and jurisprudence. Finally, we come to the result that the Labor Reform left gaps, especially those that refer to telework and to solve the problem (or diminish its effects) there is a need for a great collaboration between State, employer and employee. Keywords: Telework. Labor Reform. Technological Development. Rights. Job.
Referências
ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO. Disponível em: <http://www.agu.gov.br/noticia/no-supremo-agu-defende-fim-da-contribuicao-sindical-obrigatoria--652627>. Acesso em: 24 maio 2018.   ALMEIDA, Daniela Favilla Vaz de; COLNAGO, Lorena de Mello Rezende. O teletrabalho, o direito à desconexão do ambiente de trabalho e os possíveis meios de inibição da prática. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 42, n. 169, p. 113-126, 2016.   ALVARENGA, Rúbia Zanotelli. O polígrafo e o direito do trabalho. Repertório de Jurisprudência IOB, v. Jan/2, p. 51-57, 2011.   AMADO, João Leal. Tempo de trabalho e tempo de vida: sobre o direito à desconexão profissional. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, n. 52, p. 255-268, 2018.   AMARAL, Adriano Benayon do. Ciência e tecnologia nas relações internacionais, Revista Brasileira Estudos Políticos, v. 47, n. 211, p. 211-227, 1978.   ANAMATRA. Disponível em: <https://www.anamatra.org.br/imprensa/noticias/26384-reforma-trabalhista-caducidade-da-medida-provisoria-808-2017-indica-descaso-com-legado-social-da-constituicao>. Acesso em: 24 set. 2018.   AQUINO, Cassio Adriano Braz de. Novas configurações do trabalho e psicologia do paradigma organizacional. In: SEMANA DE ESTUDOS SOBRE REFORMA TRABALHISTA, 2018, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UNI7, 2018.   BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho de 1943   BRASIL. Constituição (1988).   BRASIL. Lei n. 13. 467 de 13 de julho de 2017.   BENTO, Rafael Tedrus. Parassubordinação e teletrabalho: novas formas de trabalho. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 38, n. 148, p. 85-108, out./dez. 2012.   BETIATTO, Ricardo. Teletrabalho: a reforma trabalhista em contraponto com as perspectivas europeia e italiana. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, v. 7, n. 62, p. 46-56, 2017.   CÂMARA LEGISLATIVA. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/proposicoes Web/prop_mostrarintegra?codteor=1544961>. Acesso em: 21 maio 2018.   CARTA CAPITAL. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/blogs/parlatorio/ reforma-trabalhista-como-votaram-os-deputados>. Acesso em: 21 maio 2018.   CASSAR, Voila Bomfim. Direito do trabalho: de acordo com a reforma trabalhista Lei 13.467/2017. 15. ed. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2018.   CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v. 1.   CASTRO, Flávia Pimenta de. Tendências no tratamento jurídico da saúde do trabalhador. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, SP, n. 15, p. 113-127, abr./jun. 2001.   CENTRO UNIVERSITÁRIO AMPARENSE. Disponível em: <http://www.unifia.edu.br/projetorevista/edicoesanteriores/Setembro11/artigos/direito/Direito_em_foco_Tripalium.pdf>. Acesso em: 24 set. 2018.   CONJUR. Disponível em: <https://www.conjur.com.br/2014-dez-03/eduardo-pragmacio-sociedade-atual-exige-reforma-trabalhista>. Acesso em: 24 maio 2018.   COLUMBU, Francesca; MASSONI, Túlio de Oliveira. Tempo de trabalho e teletrabalho. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 41, n. 161, p. 65-85, jan./fev. 2015.   COOPER, Flávio Allegretti de Campos. Novas formas de relação de trabalho e emprego: teletrabalho. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, n. 12, p. 146-149, 2000.   DALLEGRAVE. Disponível em: <http://dallegrave.com/o-direito-do-trabalho-em-tempos-de-crise-economica/>. Acesso em: 28 maio 2018.   DE MASI, Domenico. O Ócio Criativo: entrevista a Maria Serena Paieri. Tradução de Léa Manzi. Rio de Janeiro: Sextante, 2000.   DELGADO, Mauricio Godinho. Capitalismo, trabalho e emprego: entre o paradigma da destruição e os caminhos de reconstrução. 2. ed. São Paulo: LTr, 2015.   _________ Curso de direito do trabalho. 17. ed. São Paulo: Ltr, 2018.   DELGADO, Mauricio Godinho; DELGADO, Gabriela Neves. A reforma trabalhista no Brasil: com os comentários à Lei 13.467/2017. São Paulo: LTr, 2017.   EBERT, Paulo Roberto Lemgruber. O direito do trabalho no século XXI: em busca de uma nova estruturação. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, São Paulo, v. 78, n. 2, p. 209-238, 2012.   EFING, Antonio Carlos; MEYTRE, Anselmo Charles; FREITAS, Cinthia Obladen de Almendra. Teletrabalho e o (des)impacto ambiental no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 44, n. 188, p. 166-186, 2018.   EL PAÍS. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/27/internacional/ 1493296487_352960.html>. Acesso em: 20 maio 2018.   ESTADÃO. Disponível em: <http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,senado-aprova-reforma-trabalhista,70001886124>. Acesso em: 21 maio 2018.   ESTRADA, Manuel Martin Pino. Disponível em: <http://www.ibde.org.br/revista/index_archivos/rede_ix.pdf.>. Acesso em: 29 ago. 2018.   ________, O teletrabalho escravo. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 38, n. 146, p. 171-187, 2012.   ________, O teletrabalho no direito brasileiro e no direito comparado. Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/ anexos/5652-5644-1-PB.htm>. Acesso em: 30 mar. 2018.   ________, Manuel Martin Pino. O teletrabalho nos Estados Unidos. Revista de Direito Eletrônico (IBDE), v. IX, p. 52-61, 2006.   ________. O teletrabalho transfronteiriço no Direito Brasileiro. Consultor Jurídico, São Paulo, 2002. Disponível em: <https://www.conjur.com.br/ 2002-dez-30/teletrabalho_transfronteirico_direito_brasileiro>. Acesso em: 21 maio 2018.   FELICIANO, Guilherme Guimarães. Direito e economia: Marx, Althusser e os desafios da sociedade capitalista na era pós-industrial. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, n. 24, p. 371-402, jan./jun. 2004   FERNANDES, Gabriela Maria. Direito à desconexão e os limites da jornada de trabalho. 1 de julho de 2018. Disponível em: < https://www.conjur.com.br/2018-jul-01/gabriela-fernandes-direito-desconexao-jornada-trabalho > Acesso em 20 de novembro de 2018   FERREIRA JÚNIOR, José Carlos. Teletrabalho: o paradigma de um novo estilo de trabalho. Disponível em: <http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/ 20.pdf>. Acesso em: 24 ago. 2018.   FONSECA, Bruno Gomes Borges da. Reforma Trabalhista e Teletrabalho: O velho dilema entre aparência e essência. In: MIESSA, Élisson; CORREIA, Henrique (Orgs.). A reforma trabalhista e seus impactos. Salvador: JusPodivm, 2017. p. 227-238.   FREITAS JUNIOR, Antonio Rodrigues de. Declínio do emprego e direito do trabalho: prólogo a uma tragédia. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, n. 13, p. 147-154, 2000.   GARCIA, Gustavo Filipe Barbosa. Trabalho à distância e teletrabalho: considerações sobre a Lei 12.551/2011. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 38, n. 145, p. 119-127, 2012.   GOMES, Ana Virginia Moreira. Reforma trabalhista e o direito coletivo do trabalho. In: SEMANA DE ESTUDOS SOBRE REFORMA TRABALHISTA, 2018, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UNI7, 2018.   GRAVATÁ, Isabelli. O teletrabalho, o meio ambiente de trabalho e os direitos fundamentais na perspectiva da reforma trabalhista. In: MIESSA, Élisson; CORREIA, Henrique (Orgs.). A reforma trabalhista e seus impactos. Salvador: JusPodivm, 2017. p. 239-254.   GRUPO DE CONSULTORIA EM TELETRABALHO. Disponível em: <http://www.gcontt.com.br/>. Acesso em: 30 mar. 2018.   GUERRA, Rogéria Gladys Sales. O contrato de trabalho e o novo conceito de subordinação jurídica nas atuais relações de trabalho. Revista eletrônica do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, Recife, v. 23, n. 40, p. 104-119, 2013.   GUIA TRABALHISTA. Disponível em: <http://www.guiatrabalhista.com.br/guia/justa_ causa_empregado.htm>. Acesso em: 22 maio 2018.   INSTITUTO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO CORPORATIVA– IBDEC. Disponível em: <http://ibdec.net/2014/sua-carreira/contribuicao-sindical-antes-e-depois-da-reforma-trabalhista>. Acesso em: 22 maio 2018.   INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA TRABALHISTA. Disponível em: <http://www.ibgtr.com.br/trabalho-remoto-x-trabalho-externo/>. Acesso em: 24 ago. 2018.   INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS AVANÇADOS DA MAGISTRATURA E DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Disponível em: <http://www.ipeatra.org.br/neoadmin/imglib/sentencas/9.pdf>. Acesso em: 28 maio 2018.   ISTOÉ. Disponível em: <https://istoe.com.br/especiala-reforma-trabalhista-na-italia-deu-resultados/>. Acesso em: 20 maio 2018.   JOBIM, Paulo. Uma visão econômica do mundo do trabalho: os desafios do Ministério do Trabalho e Emprego. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, Porto Alegre, v. 66, n. 2, p. 115-124, 2000.   LORA, Ilse Marcelina Bernardi. O dano existencial no direito do trabalho. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, v. 2, n. 22, p. 10-25, 2013.   MANNRICH, Nelson. Direito do trabalho em tempos de crise: qual a medida da reforma?. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, v. 6, n. 58, p. 31-47, 2017.   ________, Nelson. LTR 81, de novembro de 2017 – “O Futuro do Direito do Trabalho no Brasil e no Mundo”, p. 1292-1293.   MARTINEZ, Luciano. Curso de direito do trabalho. 8. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.   MARTINS, Ana Caroline de Souza; VIEGAS, Cláudia Mara de Almeida Rabelo. Negociado sobre o legislado: uma afronta aos direitos fundamentais do trabalhador. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 44, n. 188, p. 21-58, 2018.   MARTINS, Rafael Lara. Teletrabalho e o PL 6.787/2016. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 43, n. 181, p. 151-166, 2017.   MATTIOLI, Maria Cristina. Os padrões internacionais do trabalho diante do fenômeno da globalização: novo enfoque para as reformas trabalhista e sindical no Brasil. Revista do Tribunal Superior do Trabalho, São Paulo, v. 78, n. 2, p. 107-140, 2012.   MELO, Guilherme Orlando Anchieta; LORENTZ, Lutiana Nacur. Uma abordagem interdisciplinar do trabalho análogo ao de escravo nas clivagens: trabalho forçado, degradante e desumano. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Belo Horizonte, v. 54, n. 84, p. 263-288, 2011.   MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Disponível em: <http://portal.mpt.mp.br/ wps/wcm/connect/portal_mpt/204a16b7-0bca-409d-a7fd-6f9eec6bcc4f/Nota%2BT% C3%A9cnica%2Bn%C2%BA%2B08.2017.pdf?MOD=AJPERES&CONVERT_TO=url&CACHEID=ROOTWORKSPACE.Z18_395C1BO0K89D40AM2L613R2000-204a 16b7-0bca-409d-a7fd-6f9eec6bcc4f-lVoXaqb>. Acesso em: 22 maio 2018.   MIQUELUZZI, Oswaldo. Neoliberalismo e flexibilização: consequências e alternativas para os trabalhadores e seus sindicatos. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, v. 15, n. 22, p. 63-75, 1997.   MIZIARA, Raphael. A reforma sem acabamento: incompletude e insuficiência da normatização do teletrabalho no Brasil. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 44, n. 189, p. 61-80, 2018.   MOLINA, André Araújo. O Direito fundamental ao lazer, à desconexão do trabalho, ao projeto de vida e à vida de relações. In: CALSING, Renata de Assis; ALVARENGA, Rúbia Zanotelli de (Coords.). Direitos humanos e relações sociais trabalhistas. São Paulo: LTr, 2017. p. 236-252.   MOURÃO, Natália Lemos. A inconstitucionalidade da jornada do trabalho na reforma trabalhista. Revista de Direito do Trabalho, São Paulo, v. 43, n. 184, p. 19-36, 2017. NILLES, Jack M. Fazendo do teletrabalho uma realidade: um guia para gerentes imediatos e teletrabalhadores. São Paulo: Futura, 1997.   ________. Managing Telework: strategies for managing the virtual workforce. Jack M. Nilles. 1998.   NÚCLEO DE ESTUDOS DE HABITARES INTERATIVOS DA USP. Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/documentos/textos/cultura_digital/mono_MarceloSouza.pdf>. Acesso em: 30 mar. 2018.   NUNES, Flávio Filgueiras; DOMITH, Laira Carone Rachid. A ausência de controle de jornada do empregado em regime de teletrabalho como fato gerador do afrouxamento das relações familiares. In: MIESSA, Élisson; CORREIA, Henrique (Orgs.). A reforma trabalhista e seus impactos. Salvador: JusPodivm, 2017. p. 255-277.   NUNES, Talita Camila Gonçalves. A precarização do teletrabalho: escravidão tecnológica e impactos na saúde física e mental do trabalhador. Belo Horizonte: RMT, 2018.   OLIVEIRA NETO, Célio Pereira. Trabalho em ambiente virtual: causas, efeitos e conformação. 2017. 238 f. Tese (Doutorado em Direito do Trabalho) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.   OLIVEIRA, Sebastião Geraldo de. Proteção jurídica à saúde do trabalhador. São Paulo: LTr, 1988.   ONU. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/trabalho-a-distancia-favorece-diversidade-profissional-e-aumenta-a-produtividade-diz-oit/>. Acesso em: 24 ago. 2018.   ________. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/trabalhando-a-qualquer-hora-em-qualquer-lugar-novo-relatorio-destaca-oportunidades-e-desafios-na-expansao-do-trabalho-a-distancia/>. Acesso em: 24 ago. 2018.   ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Disponível em: <https://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_544296/lang--pt/index.htm>. Acesso em: 24 ago. 2018.   PALOMEQUE LOPEZ, Manuel Carlos. Direito do trabalho e ideologia. Coimbra: Almedina, 2001.   PAULA, Hilda Maria Francisca de. Teletrabalho: desafios frente a uma nova realidade. In: MIESSA, Élisson; CORREIA, Henrique (Orgs.). A reforma trabalhista e seus impactos. Salvador: JusPodivm, 2017. p. 215-226.   PESQUISA HOME OFFICE BRASIL 2016 <http://www.sobratt.org.br/site2015/wp-content/uploads/2016/05/Estudo_Home-_Office_Consolidado_2016.pdf>   PINTO, Geraldo Augusto. A organização do trabalho no século 20: taylorismo, fordismo e Toyotismo. São Paulo: Expressão Popular, 2007.   PÓVOAS, Marcos; FELIZOLA, Mariana. Teletrabalho e a desconstrução da subordinação jurídica. In: MIESSA Élisson; CORREIA, Henrique. A reforma trabalhista e seus impactos. Salvador: JusPodivm, 2017. p. 279-289.   PRATA, Marcelo Rodrigues. A globalização e o seu impacto no direito ambiental do trabalho. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, PR, v. 7, n. 64, p. 88-109, 2017/2018.   RENDINHA, Maria Regina Gomes. O teletrabalho. Disponível em: <https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/18672/2/49720.pdf>. Acesso em: 24 ago. 2018.   RUDIGER, Dorothee Sussanne. O direito do trabalho brasileiro no contexto da globalização. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, n. 12, p. 55-63, 2000.   SAKO, Emília Simeão Albino. Uso laboral e extralaboral do correio eletrônico e Internet: controle patronal indevido ou abusivo: lesão aos direitos fundamentais de segredo das comunicações e privacidade. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, v. 2, n. 19, p. 69-87, 2013.   SAKUDA, Luiz Ojima; VASCONCELOS, Flávio de Carvalho. Teletrabalho: desafios e perspectivas. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/osoc/v12n33/a02v12n33. pdf>. Acesso em: 30 set. 2018.   SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2006.   SCHMIDT, Martha Halfeld Furtado de Mendonça. Trabalho e saúde mental na visão da OIT. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Belo Horizonte, v. 51, n. 81, p. 489-526, 2010.   SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. Tradução de Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016.   SENA, Adriana Goulart de. Trabalho e desemprego no contexto contemporâneo: algumas reflexões. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Belo Horizonte, v. 29, n. 59, p. 99-128, 1999.   SILVA, Homero Batista Mateus da. Comentários à reforma trabalhista: análise da Lei 13.467/2017: artigo por artigo. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2017.   SILVA, Rogério Ramalho da. Home-Officer: um surgimento bem sucedido da profissão pós-fordista, uma alternativa positiva para os centros urbanos. Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v.1, p.85-94, 2009   SKYMARK. Disponível em: <http://www.skymark.com/resources/leaders/thomson.asp>. Acesso em: 24 ago. 2018.   SOCIEDADE BRASILEIRA DE TELETRABALHO E TELEATIVIDADES. Disponível em: <http://www.sobratt.org.br/index.php/18032016-beneficios-do-teletrabalho-para-o-aprimoramento-dos-processos-das-areas/>. Acesso em: 24 set. 2018.   STANDING, Guy. O precariado: a nova classe perigosa. Traduzido por Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.   SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/estf visualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcessoEletronico.jsf?seqobjetoincidente=5331951>. Acesso em: 24 maio 2018.   SÜSSEKIND, Arnaldo. A flexibilização no direito do trabalho. Revista da Academia Brasileira de Letras Jurídicas, Rio de Janeiro, v. 19, n. 23, p. 25-34, 2003.   TELLES FILHO, Eduardo Pragmácio de Lavor. Reforma trabalhista e o contrato de trabalho: trabalho intermitente, trabalho remoto, trabalho mediado por plataformas. In: SEMANA DE ESTUDOS SOBRE REFORMA TRABALHISTA, 2018, Fortaleza. Anais... Fortaleza: UNI7, 2018.   TORRESANI, Eduardo. Disponível em: <https://torresani.jusbrasil.com.br/artigos/479027238/ reforma-trabalhista-uma-comparacao-com-o-que-ocorreu-em-diversos-paises>. Acesso em: 20 maio 2018.   TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO. Disponível em: <https://www.trt3.jus.br/escola/download/revista/rev_54/Mauricio_Delgado.pdf>. Acesso em: 22 maio 2018.   TUDO SOBRE TECNOLOGIA WORDPRESS. Disponível em: <https://tudosobretecnologiasite.wordpress.com/2016/11/05/primeiro-post-do-blog/ - Acesso em 28 ago. 2018.   VAUGHAN-WHITEHEAD, Daniel. The european social model in times of crisis: An overview. In: VAUGHAN-WHITEHEAD, Daniel (Ed.). The european social model in crisis: is europe losing its soul? Cheltenham, UK: Edward Elgar, 2015. p. 1-85. Working Anytime, anywhere: The effects on the world of work. Disponível em: <https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---dgreports/---dcomm/---publ/documents/publication/wcms_544138.pdf>. Acesso em: 24 ago. 2018.