Publicações → Revista Direito Diário, Fortaleza, vol. 5, n.1, jan-jun, 2022 → Artigo: UBERIZAÇÃO, IMPACTOS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMEN...
UBERIZAÇÃO, IMPACTOS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVELUBERIZAÇÃO, IMPACTOS AMBIENTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
ISSN: 2595-1408
Por Levi Noleto Paiva
Leia esse artigo
Resumo
O trabalho investiga acerca do fenômeno da plataformização do trabalho no Brasil e discute as repercussões ambientais causadas pelo uso do aplicativo. Essas empresas tem contribuído para a redução do consumo ou aumentado a emissão do gás carbônico? Qual o saldo ambiental dessa equação? Os Objetivos do trabalho são: 1) Compreender o que é o fenômeno da plataformização do trabalho e como tem se desenvolvido no Brasil; 2) Discutir quais são os impactos e os ganhos ambientais pelo uso do aplicativo e assim descobrir qual o saldo ambiental dessas empresas. A metodologia do estudo tem abordagem qualitativa, sendo do tipo bibliográfico face ter-se desenvolvido a partir de estudos anteriores registrados em livros, artigos científicos, leis e decisões judiciais. Palavras-chave: Uber. Direito Ambiental. Emissão de gás carbônico.
Abstract
This article investigates the phenomenon of work platforming in Brazil and discusses the environmental repercussions caused by the use of the application. Have these companies contributed to the reduction of consumption or increased emission of carbon dioxide? What is the environmental balance of this equation? The objectives of the work are: 1) To understand what the phenomenon of work platforming is and how it has developed in Brazil; 2) Discuss what are the environmental impacts and gains from using the application and thus discover the environmental balance of these companies. The study methodology has a qualitative approach, being of the bibliographic type as it was developed from previous studies registered in books, scientific articles, laws and judicial decisions. Keywords: Uber. Environmental Law. Emission of carbon dioxide.
Referências
AGUM, Ricardo; RISCADO, Priscila; MENEZES, Monique. Políticas públicas: Conceitos e análise em revisão. Revista Agenda Política. Vol 3. n. 2. Dezembro de 2015. ISSN: 2318-8499.   ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre a metamorfose e a centralidade do mundo do trabalho. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2015.   ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: O novo privilégio do serviço na era digital. 1. ed.   São Paulo: Boitempo editorial, 2018.   ARAÚJO, Jailton Marcena. Valor social do trabalho na constituição federal de 1988: instrumento de promoção de cidadania e de resistência à precarização. Revista de Direito Brasileira, São Paulo, v. 16 n. 7, jan/abr 2017. Disponível em: <https://www.indexlaw.org/index.php/rdb/article/view/3058>. Acesso em: 10 maio. 2020.   BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor Ltda., 2001.   BOSSELMAN, Klaus. O princípio da sustentabilidade: Transformando direito e governança. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2015.   CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa. O sistema de proteção jurídica do emprego frente às inovações tecnológicas: uma proposta de proteção sistêmica. Sociedade, tecnologia e a luta pelo emprego. São Paulo: LTr, 2018.   ELKINGTON, John. Sustentabilidade: canibais com garfo e faca. Trad. Lura Prades Veiga. São Paulo; M-Books do Brasil, 2012. Ebook.   GARBEN, Sacha. Protecting Workers in the Online Platform Economy: An overview of regulatory and policy developments in the EU. European Risk Observatory Discussion paper. European Agency for Safety and Health at Work (EU-OSHA). Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2017. Disponível em <https://osha.europa.eu/en/publications/protecting-workers-online-platform-economy-overview-regulatory-and-policy-developments/view>. Acesso em jan 2022.   HAMARI, Juho; SJÖKLINT, Mimmi; UKKONEN, Antti. The Sharing Economy: Why People Participate in Collaborative Consumption. Journal of the Association for Information Science and Technology. 67 (2016). p. 2047-2059. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/255698095_The_Sharing_Economy _Why_People_Participate_in _Collaborative_Consumption>. Acesso em dez 2021.   LAMEIRAS, Maria Andreia Parente, et al. Carta de conjuntura: mercado de trabalho. In: INSTITUTO DE PESQUISA ECONOMICA APLICADA. n. 43. 2 trimestre de 2019. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/conjuntura/190618_cc_43_mercado_de_trabalho.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2021.   LEFF, Enrique. Racionalidade ambiental: a reapropriação social da natureza. Trad. Luis Carlos Cabral. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.   NALINI, José Renato. Ética ambiental. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2015.   PETRI, Marina. Aplicativos de transporte aquecem a economia do país. Portal do trânsito, 2018. Disponível em: <https://portaldotransito.com.br/noticias/urbanismo/aplicativos-de-transporte-aquecemeconomia-do-pais/>. Acesso em: 22 maio. 2020.   SERGE, Latouche. Pequeno tratado do decrescimento sereno. Trad. Cláudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2009.   SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Trad. Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.   SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. 1. ed. São Paulo: Edipro Edições Profissionais Ltda., 2016.   SLEE, Tom. Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Editora Elefante, 2019.   SJOBLOM, G. Problemi e soluzioni in politica. Rivista Italiana di Scienza Politica, v. 14, n.1, 1984.   SUNDARARAJAN, Arun. Economia compartilhada: o fim do emprego e a ascensão do capitalismo de multidão. Trad. André Botelho. São Paulo: Editora Senac, 2018.   UBER. A Uber tem um compromisso com a sua cidade. 2020. Disponível em: <https://www.uber.com/br/pt-br/about/sustainability/>. Acesso em: 15 jan. 2022.   UNION OF CONCERNED SCIENTISTS. Ride-Hailing is a problem for the climate. Here’s why. 2021. Disponível em: <https://www.ucsusa.org/resources/ride-hailing-problem-climate>. Acesso em 01 jan. 2022.