ARTIGO EM PDF

Fase 2 – Artigo DEFINITIVO.docx

 

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

ARGUMENTAÇÃO DEMONSTRATIVA: O PESO DE RECURSOS
DEMONSTRATIVOS NA CONSTRUÇÃO DO DISCURSO DA
COVID-19 E DA FOME NO BRASIL 1

DEMONSTRATIVE ARGUMENTATION: THE WEIGHT OF
DEMONSTRATIVE RESOURCES IN THE CONSTRUCTION OF
COVID-19 SPEECH AND HUNGER IN BRAZIL

Adryan Henrique Souza Gouvea2*
Felipe Yuske Chevalier Ivasita3**
Giovana Matheus Lamp4**
Tamires Cristina Machado5**
Valcir Batista Vieira Junior6**

RESUMO:
Neste artigo acadêmico , o tema Fome no Brasil em detrimento do Covid-19, trazido
por Ágape na Gazeta do Povo em um texto informativo, será objeto de análise da
construção do discurso argumentativo demonstrativo, através de uma abordagem
qualitativa dos dados no texto . Tendo como uso de base para a construção desse
discurso as obras de Plantin (2011) e Souza (2018) , esse estudo busca descrever
como o acordo com o real e a presunção de verdade ocorrem na construção do
discurso sobre a Covid e a Fome no Brasil, através de uma coleta e observação de
dados, que expõem as ferramentas utilizadas pelo autor na composição de sua
matéria, descrição dos procedimentos metodológicos e por fim, apresentação das análises. Assim, conclui-se na pesquisa que a modalidade demonstrativa tem função
de agregar valor na construção da argumentação, através do fornecimento de dados
estatísticos que objetivam concretizar e legitimar um fato, junto às autoridades no
assunto que credibilizam os argumentos. Portanto, observa-se a uso da
demonstração com objetivo de gerar um acordo com o leitor, em um artigo
argumentativo.

 

Palavras-chave: Fome. Argumentativo. Demonstrativo. Covid-19.

ABSTRACT:
In this academic article, the theme Hunger in Brazil at the expense of Covid-19,
brought by Ágape in Gaveta do Povo in an informative text, will be the object of
analysis of the construction of the demonstrative argumentative discourse through a
qualitative approach to the data in the text. Using the works of Plantin (2011) and
Souza (2018) as the basis for the construction of this discourse, this study seeks to
describe how the agreement with the real and the presumption of truth occur in the
construction of the discourse about Covid and Hunger in the Brazil, through a
collection and observation of data, which expose the expository tools used by the
author in the composition of his material, description of the methodological
procedures and finally, presentation of the analyzes. Thus, it is concluded in the
research that the demonstrative modality has the function of adding value in the
construction of the argument, through the provision of statistical data that aim to
concretize and legitimize a fact, with the authorities in the subject that give credibility
to the arguments. Therefore, it is observed the use of the demonstration with the
objective of generating an agreement with the reader, in an argumentative article.
KEYWORDS: Famine. Argumentative. Demonstrative. Covid-19.

Introdução
A definição do assunto, expondo de modo claro e preciso qual é a ideia
central do estudo. A definição do assunto, expondo de modo claro e preciso qual é a
ideia central do estudo. A definição do assunto, expondo de modo claro e preciso
qual é a ideia central do estudo. A definição do assunto, expondo de modo claro e
preciso qual é a ideia central do estudo.

A delimitação do assunto, esclarecendo o ponto de vista sobre o qual ele
será enfocado no desenvolvimento do artigo. A delimitação do assunto,
esclarecendo o ponto de vista sobre o qual ele será enfocado no desenvolvimento
do artigo. A delimitação do assunto, esclarecendo o ponto de vista sobre o qual ele
será enfocado no desenvolvimento do artigo.
A situação do tema no tempo e no espaço, ou seja, o tema deve ser
cuidadosamente situado no conjunto dos conhecimentos ou atividades já
desenvolvidas por outros autores (pesquisa nas plataformas on-line). A situação do
tema no tempo e no espaço, ou seja, o tema deve ser cuidadosamente situado no
conjunto dos conhecimentos ou atividades já desenvolvidas por outros autores
(pesquisa nas plataformas on-line).
A importância do tema, com especial cuidado em sua elaboração, norteando
o leitor para a relevância do estudo em questão e despertando sua atenção para a
leitura da pesquisa. O autor deve justificar a escolha e seleção do tema a ser
estudado. A importância do tema, com especial cuidado em sua elaboração,
norteando o leitor para a relevância do estudo em questão e despertando sua
atenção para a leitura da pesquisa. O autor deve justificar a escolha e seleção do
tema a ser estudado.

1 Fundamentação teórica
1.1 O que é argumentação demonstrativa.
A argumentação é um conjunto de ideias e raciocínios, colocados em um
sentido lógico, sempre mostrando um ponto de vista, uma problemática, e
informações, sempre com a intenção primordial de convencer ou persuadir o leitor
sobre o assunto a ser enunciado. Esse conjunto de frases e discursos, em muitas
das vezes podem ser de caráter verídico ou não, com base ou não científica, de
forma a esclarecer ou até mesmo questionar um ponto de vista, com enfoque
principal: cultura, contexto social, aparência, reputação ou mesmo personalidade.

Baseado nesta lógica o proponente é aquele que se apoia em transmitir um
fato e assim portanto apresentar características da proposta e também se basear em
um acordo, neste caso com o leitor. Já o opositor vai se mostrar ou querer se refutar
ao ponto de vista apresentado. Por fim, o Terceiro é aquele que questiona todo o
cerne apresentado por ambas as partes, a união de todas essas questões
concernem a uma estrutura de argumentação, sempre levando ao convencimento
do leitor sobre o dado assunto.
Nesses limites, destacamos o que estamos entendendo por modalidade
argumentativa demonstrativa. Segundo Cavalcante (2020), a modalidade
demonstrativa acontece quando o locutor busca a adesão dos interlocutores
apresentando uma tese por meio de provas, como ocorre em um artigo de opinião,
um debate eleitoral ou até mesmo na redação do ENEM. Para a produção deste tipo
de texto se recorre, geralmente, a coleta de dados verídicos sobre o tema escolhido,
com sua devida análise e posteriormente a aplicação dos conhecimentos de forma
expositiva, com finco de persuadir ou mesmo influenciar o leitor, sempre baseado
nos interesses do autor.

1.2 O impacto da pandemia na fome no Brasil
Segundo uma reportagem trazida pela Legião da Boa Vontade (2020), o
aumento da fome presente no Brasil se apresenta como uma das consequências da
Covid-19, pois ao considerar os elementos já presentes no país em relação a
desigualdade social, consequentes de fatores históricos, essa pandemia trouxe uma
forte intensificação da fome, dado que o desemprego levou a forte perda de renda
às diversas famílias brasileiras.
Com isso, o sociólogo Daniel Guimarães, mostra a presença da fome como
proveniente da colonização, que por sua vez, aumentou as desigualdades sociais e
regionais, assim tendo condicionado o Brasil para seu contexto de fome que se
observa hoje, portanto a Covid aparece como um elemento potencializador de um
problema já presente na sociedade.

Atualmente, além dos fatores históricos, esse vírus altamente transmissível
também foi responsável por levar muitos indivíduos ao desemprego, dado que a
circulação de pessoas pode infectar exponencialmente mais, assim impedindo o
funcionamento de muitos trabalhos não essenciais. Consequentemente, o mercado
informal é um dos principais prejudicados nesse cenário, considerando sua
sensibilidade financeira e as famílias rurais, pois se concentram nas regiões mais
desiguais em renda no Brasil (Guimarães, 2020).
Complementarmente, é realizado um estudo de caso pela LBV, através dos
depoimentos de pessoas que presenciaram condições de insegurança alimentar
durante 2020, tal como Vadiele Conrado, autônoma que luta para sustentar seus
filhos durante a pandemia, citando “Essa é uma vida que está dando para levar, mas
boa não é”. Além dela, Fabio da Silva é uma pessoa da região rural (RN) afetado
pela Covid, sendo ele caso de análise dentro da matéria, que referencia a fome
como um fator mais prevalente nas regiões rurais (IBGE).
A LBV esclarece finalmente em sua reportagem, que as condições que muitas
pessoas estão vivendo no Brasil, estão levando-as à forte insegurança alimentar,
além da intensificação daquelas que já viviam anteriormente a pandemia. Portanto, a
Covid-19 pode estar diretamente relacionado com a reentrada do Brasil, no mapa da
fome realizado pela FAO.

 

2 Descrição dos dados e dos procedimentos de análise
A reportagem analisada neste estudo, foi extraída do jornal Gazeta do Povo
(www.gazetadopovo.com.br). A referida matéria foi acessada em sua plataforma
digital no dia 06/04/2021. Neste estudo, os dados e informações que foram
analisados se baseiam na construção do discurso argumentativo e, conforme já
exposto na primeira seção do trabalho, relaciona a fome e a Covid-19. Dando
seguimento à extração de dados, observa-se depoimentos de pessoas que se
encontram em situação de fome, e pesquisas que permitem explorar o papel das
Instituições durante a pandemia. Mais particularmente, o artigo traz a análise sobre a
argumentação em cima do aumento dos preços dos alimentos e a taxa de
desemprego devido ao coronavírus.

Para melhor adaptação do texto ao nosso estudo, a análise de dados foi
dividida em três categorias, sendo elas: 1) exploração dos dados e pesquisas de
Instituições, reunidos ao longo do artigo pelo autor David Ágape; 2) observação das
entrevistas feitas com pessoas que têm sofrido alterações em seu modo de vida por
causa da Covid-19; 3) argumento de autoridade sobre a situação da fome na atual
conjuntura.

 

3 Análise e discussão dos resultados
Para análise e discussão dos resultados como apresentado anteriormente,
utilizaremos a matéria “O vírus da fome: como a Covid-19 e a desnutrição andam de
mãos dadas no Brasil” e observaremos como a organização dos textos caminham
pela modalidade argumentativa demonstrativa. Uma observação prévia permite
chegar a três categorias básicas de dados estatísticos, estudos de caso e
argumentos de autoridade, e estão apresentados na tabela a seguir:

 

3.1 Tipo de argumento 1: Dados Estatísticos
Como forma de persuadir o leitor, Ágape utiliza de dados estatísticos provenientes
de diversas fontes como via para sustentar os argumentos apresentados ao longo
do texto, desta forma, Francisco Menezes, ex-pesquisador do Instituto Brasileiro de
Análises Sociais e Econômicas (IBASE) e atual colaborador do ActionAid, é um dos
especialistas que apresenta no decorrer do texto a relação entre a fome e a
população brasileira, mostrando que 22% das famílias não estão podendo trabalhar
durante a pandemia, em especial uma cidade chamada cidade de Aparecida, que contém 70% de seus moradores desempregados devido a baixa no turismo, este
principal fonte de receita na região. Posteriormente na matéria, o Instituto Datafolha,
mensura que 36% das pessoas não teriam outra fonte de renda a não ser o próprio
auxílio dentro, ou seja, cerca de 25 milhões de pessoas. Em conjunto, o IBGE
explicita que 36,7% dos lares brasileiros equivalentes a 84,9 milhões de pessoas,
sofriam algum grau de insegurança alimentar antes da pandemia, assim levando a
conclusão dos impactos causados nas famílias em geral. Portanto, como forma de
realçar o preço, outro fator causador das dificuldades enfrentadas pela população
de renda baixa durante o Covid-19, ele traz dados do Departamento Intersindical de
Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) a partir de Pesquisa Nacional da
Cesta Básica de Alimentos, realizada em janeiro de 2021, onde São Paulo sofreu
um aumento de 3,59%, bem próximo do experimentado pela cidade de Curitiba.
Além da dobra do preço do arroz, o óleo de soja está 70% segundo o economista
Luiz Eliezer Ferreira da Federação de Agricultura do Paraná (FAEP). A partir desses
dados o autor justifica a insegurança alimentar como uma consequência inevitável
da Covid, ao retratar através de informações do Relatório Estado de Segurança
Alimentar e Nutrição no Mundo (SOFI), em que toda a região da América Latina
pode experimentar cenários drásticos com relação à fome dado que a queda
regional do PIB pode atingir o recorde histórico de 5,3% negativos em 2020, gerando
assim uma pobreza extrema de 16 milhões de pessoas a mais do que no ano
anterior. Considerando esse cenário continental, o texto finaliza com o levantamento
do Ministério da Cidadania, no qual o Programa Bolsa Família (PBF), o Benefício de
Prestação Continuada (BPC) e o Auxílio Emergencial reduziram em 80% a extrema
pobreza no Brasil em 2020.

 

3.2 Tipo de argumento 2: Estudo de caso
Um dos métodos utilizados na composição da argumentação demonstrativa
da matéria foram estudos de caso de eventos reais, onde foram coletados
depoimentos de pessoas que foram afetadas de forma significativa pela Covid-19.
Um dos casos apresentados é o da Ivaneide dos Santos de 37 anos, que mora junto
de seus 3 filhos em uma comunidade carente de Manaus. Ivaneide apresenta em
seu relato que foi contaminada pelo vírus e teve de ser hospitalizada com falta de ar, porém, não pôde ficar internada, pois não tinha com quem deixar seu filho mais novo
de apenas 2 anos. A Manauara trabalha como diarista, mas está desempregada
desde o início da pandemia. Para sustentar sua família conta com o auxílio de
R$82,00 do programa Bolsa Família e com a venda de reciclagem, que teve de ser
interrompida por estar infectada pelo Coronavírus. No último ano foi beneficiada pelo
Auxílio Emergencial fornecido pelo governo, porém, com a suspensão do mesmo,
tem vendido seus próprios pertences para levantar recursos. A contaminação do
vírus implica na privação do indivíduo de realizar suas atividades no trabalho, tanto
pelos sintomas serem agressivos necessitando muitas vezes de internação, quanto
pela transmissão para outras pessoas, o que leva o trabalhador ao desemprego e o
torna dependente de auxílio para sustentar sua família, seja do governo ou de
doações da comunidade.

 

3.3 Tipo de argumento 3: Argumento de autoridade
Outro dado apresentado pelo autor é baseado no argumento de autoridade,
trazendo o especialista Francisco Menezes, ex-pesquisador do Instituto Brasileiro de
Análises Sociais e Econômicas (IBASE), que hoje atua como colaborador do
ActionAid, uma Organização Não Governamental Internacional de combate a
pobreza em todo o mundo. Menezes afirma que em 2021 o Brasil pôde contabilizar
mais de 25 milhões de pessoas em situação de fome severa, porém esse número
não pode ser considerado exato, uma vez que essas pessoas contam com o auxílio
de doações como uma alternativa à situação. O Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística (IBGE), que é responsável pela elaboração dos índices de insegurança
alimentar, classifica as famílias estudadas em três níveis: leve, quando há
preocupação com a falta de alimentos no futuro; moderada, quando a família já está
sofrendo com a falta eventual de alimentação; e a grave, onde já se é privada a
alimentação, podendo resultar na fome. Para o ex-pesquisador, o Auxílio
Emergencial fornecido pelo governo teve grande influência na diminuição desse
problema, porém, com sua suspensão fez com que o número de pessoas em
situação de fome aumentasse novamente. As informações concedidas pelo
especialista auxiliam na mensuração a nível nacional da fome já existente no Brasil,
que foi acentuada por conta da pandemia.

 

Considerações finais

Este estudo apresentou uma análise de teor qualitativo dos recursos
demonstrativos utilizados na produção de uma reportagem de 2018. Essa análise foi
fundamentada, essencialmente, em dois referenciais teóricos complementares
ligados à construção do discurso argumentativo: a noção de interação argumentativa
(PLANTIN, 2011) e a concepção da construção do discurso argumentativo (SILVA,
2018).
Tendo em vista os objetivos do presente trabalho, os resultados demonstraram
que o uso da modalidade demonstrativa, principalmente no que se refere ao
emprego de dados estatísticos, a apresentação de casos reais e aos argumentos de
autoridade (e outros em menor contraste), adiciona um valor único na construção da
argumentação no sentido de estabelecer um acordo. Isso ocorre tendo em vista que
os fatos desempenham um papel fundamental no acordo com o real, uma vez que
seu uso representa dados que se ligam ao concreto, ou seja, ao que não é passível
de dúvida, e que assim, direcionará objetivamente a tese do autor.
É necessário ainda salientar que os diferentes tipos de dados presentes no
trabalho de Ágape contribuem de formas distintas na composição de seu discurso.
Primeiramente, o autor realiza uma análise de casos reais, com isso, ele explicita a
correlação entre a fome e a Covid-19, além de introduzir o leitor a sua tese; em
seguida, ele apresenta uma coletânea de dados socioeconômicos (esse tipo de
dado é essencial não apenas para apresentar um panorama em termos do que seria
nacional na realidade do povo brasileiro, como também para legitimar sua tese); por
fim, o uso de referenciais de autoridade leva o interlocutor a aceitar a validade de
sua tese ou conclusão, pela credibilidade atribuída à palavra de alguém
publicamente considerado autoridade na área.
Com isso, concluímos que o uso de uma argumentação baseada no real é
essencial na composição do discurso argumentativo em que se pretende,
principalmente, gerar um acordo (fortalecendo, nos mais distintos aspectos, a
interação argumentativa). Por fim, o presente estudo analisou uma reportagem
específica de um único jornal. Outros estudos poderiam ampliar esses resultados
para melhor compreensão desses recursos argumentativos.

 

REFERÊNCIAS

ÁGAPE, David. O vírus da fome: Como a Covid-19 e a desnutrição andam de mãos
dadas no Brasil. Gazeta do Povo, Curitiba, 05 de abril de 2021. Disponível em:
<https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/o-virus-da-fome-como-a-covid-19-e-a-des
nutricao-andam-de-maos-dadas-no-brasil/>. Acesso em: 06 de abril de 2021.
CAVALCANTE, M. M. et al. Linguística de texto e argumentação. Campinas: Pontes,
2020.
PLANTIN, Christian. Análise e crítica do discurso argumentativo. Tradução de
Rodrigo dos Santos Mota; Sébastien Giuliano Giancola; Thaise Almeida dos Santos.
Revisão da tradução de Moisés Olímpio Ferreira; Sérgio Israel Levemfous. EID&A –
Revista Eletrônica de Estudos Integrados em Discurso e Argumentação. n.1, p.
17-37. Ilhéus, nov. 2011.
SOUZA, Gilton Sampaio de; COSTA, Rosa Leite da; LIMA, Sueilton Junior Braz de.
A argumentação no texto acadêmico: teses nas introduções/considerações iniciais
de monografias de cursos de Letras. A Revista de Letras. v. 23, n. 40. Curitiba, mar.
2021.
LOPES, Lucas. MAPA DA FOME | Como a pandemia da Covid-19 impactou o
acesso à alimentação básica? Publicado pelo canal LBV Brasil. Youtube, 25 dez.
2020. Brasil. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=UZfcGM2RcAE>.
Acesso em: 8 mai. 2021.
Lopes, L. (25 de Dezembro de 2020). 1 Vídeo (24 min). MAPA DA FOME | Como a
pandemia da Covid-19 impactou o acesso à alimentação básica? Fonte: Publicado
pelo canal LBV Brasil: https://www.youtube.com/watch?v=UZfcGM2RcAE. Acesso
em: 8 mai. 2021.