O curso de Direito é, certamente, um dos que possui a versatilidade como característica mais acentuada. O profissional do Direito pode atuar em diversas áreas, seja no setor público, através do concurso, ou no setor privado, trabalhando em empresas ou montando seu próprio negócio. Todavia, a realidade é que, apesar de abrir portas para tantas áreas, o mercado do Direito também está saturado de profissionais medianos. Diante dessa realidade, o que fazer para se destacar no mercado de trabalho, ser um profissional de qualidade e ter o merecido reconhecimento? Confira essas dicas e se torne alguém destacado no mercado!

#1 – LEIA!

A leitura é uma ferramenta fundamental nas mãos de qualquer bom profissional. Ler é sinônimo de contato com outros conhecimentos, possibilidade de ampliar o vocabulário desenvolvimento da interpretação de texto, além de ser um ótimo hobby. Ler nos capacita a ir sempre além, conhecendo mais, questionando mais. Ah! E não vale ficar limitado às leituras da área não. O bom profissional é aquele que consegue sair de sua zona de conforto e se prepara para as necessidades do mercado. Leitura – quanto mais, melhor!

#2 – SEJA INDEPENDENTE!

O bom profissional, aquele que se destaca de verdade em sua carreira, é quem não espera que as demandas venham. Ele cria suas próprias demandas. Sendo assim, não espere que um professor, superior ou chefe mande você fazer algum trabalho. Estude por si mesmo, analise o contexto em que você está inserido e se anteponha às necessidades, apresente soluções quando nem mesmo eles perceberam o problema. E, acima de tudo, não espere por ninguém para crescer, o profissional que você será depende, exclusivamente, de você mesmo.

#3 – SAIBA USAR SUA MELHOR FERRAMENTA!

Enquanto advogado, você deve conhecer suas armas e saber usá-las. A comunicatividade é, com certeza, a principal elas. Seja comunicativo, aprimore sua oralidade, deixe a timidez de lado e não deixe que o nervosismo supere você. Não seja uma pessoa introspectiva nem hesite em ficar na sua zona de conforto. Além disso, busque conversar, fazer contatos, trocar ideias. Às vezes, das conversas mais informais, saem grandes negócios.

#4 – CUIDE BEM DA SUA APARÊNCIA!

A aparência é o cartão de visitas de qualquer pessoa. É a primeira impressão que, apesar de clichê, faz nossa imagem mental para os clientes e colegas de trabalho. Cuidar bem da aparência é sinal de zelo e compromisso, organização e responsabilidade. O valor do trabalho de um advogado é proporcional a sua reputação e a sua reputação é reflexo de como ele se mostra.

#5 – DÊ SEMPRE O MELHOR DE SI!

Não importa se você começando agora ou se já é um profissional renomado, se está em um caso que paga pouco ou em outro com honorários milionários. A dedicação com que você se empenha em realizar um trabalho ajuda a construir sua imagem perante o público. As oportunidades vêm para aqueles que estão preparados, então se doar o tempo todo fará com que você esteja sempre atento às oportunidades.

#6 – FIQUE DE OLHO!

A atenção é uma outra característica importantíssima para um bom advogado. Prestar atenção aos detalhes pode te render um sucesso em uma causa, prestar atenção às pessoas pode te dar clientes que estavam a sua frente, mas não sabiam que precisavam de você. O advogado de sucesso sabe para onde olhar, quando olhar e como agir depois disso.

#7 – MOVA-SE!

Não se permita acomodar com as situações. A ambição é uma qualidade que te fará buscar sempre mais, fazendo com que você cresça enquanto profissional e enquanto pessoa. Se tiver tempo livre, estude. Se achar que está bom o suficiente, duvide disso. Se acreditar que pode ir além, vá. A medida do seu sucesso é proporcional a sua capacidade de não se conformar com o mediano.

Destacar-se em um mercado de trabalho cheio de profissionais que acham que são bons não é uma tarefa fácil, mas reconhecer suas qualidades e saber utilizá-las é uma característica importante para aqueles que querem estar sempre no topo. Faça uso dessas dicas e aprimore-se cada vez mais para impactar mais no mercado e na vida das pessoas.

Imagem: <http://www.industriahoje.com.br/wp-content/uploads/2012/08/identificar-profissional.jpg>. Acesso em 06/09/2016.

A verdade é que o mundo mudou. Aquilo o que as organizações buscam também mudou. E a natureza dessa nova realidade está cada vez mais evidente.

Para adequar-se a esse novo mundo, as organizações, cada vez mais, demandam um perfil empreendedor de seus membros. Esta é uma “exigência” do mercado, , em virtude de vivermos em uma sociedade de constantes transformações.

A pergunta a ser respondida então é: “por que empreender é uma atitude essencial para os lideres de hoje?”.

É simples. Porque as empresas, ONG’s e demais entidades hoje valorizam, não só as competências e habilidades técnicas, mas também as pessoais. Isso inclui uma visão empreendedora, pois, por meio dela, desafios são superados e inovações acontecem.

E como isso ocorre? Bem, o primeiro passo é selecionar uma boa ideia, o que pode ocorrer utilizando a ferramenta do “brainstorm”, na qual se anota todas as ideias que vêm à mente sem censurá-las, para depois, e só depois, filtrá-las. Além disso, é preciso observar que nossas melhores ideias podem se revelar em qualquer lugar, desde aquele momento antes de dormir ou mesmo em uma caminhada.

Entretanto, é bom frisar, que junto com as ideias vêm as oportunidades e a sua busca Esta procura de oportunidades tornou-se mais simples hoje, devido ao fácil acesso à informação que possuímos, o que envolve fazer escolhas e, especialmente, planejamento.

Porém, ainda mais importante do que ter a ideia é ter a iniciativa. Quantas boas ideias não morreram, pois seus idealizadores não tiveram a coragem de dar o primeiro passo, ou mesmo porque tiveram receio de expô-las para outras pessoas? Muitos podem argumentar, por incontáveis motivos, que a ideia é de difícil execução e com isso não tomar a iniciativa. Contudo, isso só diminui sua chance de sucesso de alguma para nenhuma.

Por fim, é necessário seguir adiante, apesar das dificuldades. Assim, o grau de resiliência de um líder é o que o diferencia, como verdadeiro empreendedor, de uma pessoa que tentou empreender. Vencer desafios é a alma do espírito empreendedor.

Ou seja, em síntese, empreender é uma atitude, ou melhor, uma mudança de atitude, que tem como elementos básicos: a ideia, a iniciativa, e a resiliência. Essa maneira de pensar, quando aplicada, pode mudar ou mesmo revolucionar pessoas, organizações e até sistemas econômicos.

E a boa notícia é que é possível ser empreendedor na advocacia também, contudo isso depende da parte mais importante do processo de empreender: ter iniciativa.

Assim, pode-se empreender investindo em nichos novos ou pouco explorados no mundo jurídico brasileiro ou na sua região, fornecendo serviços de métodos alternativos de resolução de conflitos, ou investindo na advocacia preventiva, por exemplo. Bem como ter a iniciativa de se instalar em algum local com demanda pouco aproveitada em algum segmento da atividade advocatícia.

Além disso, pode-se empreender na captação de clientes, por meio das mídias sociais, alimentando com conteúdo de qualidade a sua pagina pessoal e a de seu escritório nas mais variadas redes sociais, como facebook, twitter, likedin entre outras, observando sempre as restrições da OAB sobre o assunto.

Outra forma de conseguir empreender é simplesmente estando presente, pois o fato estar presente em eventos traduz-se em aumento de chances de oportunidades aparecerem. Portanto, a ideia de ministrar palestras sempre que possível é bastante válida. E se for para um público de outras áreas do conhecimento, melhor ainda, pois, a chance de conseguir contatos e futuros clientes é ainda maior, investindo sempre, claro, no design e na distribuição dos cartões de visita.

Por fim é preciso, principalmente, ter a iniciativa de melhorar e de inovar sempre, com o intuito de alcançar a excelência na gestão financeira e na gestão dos processos administrativos do escritório. Para que esses processos sejam compatíveis com a cultura da organização, pois a advocacia, apesar de sua natureza “sui generis”, obedece tanto aos princípios da administração como ao das empresas propriamente ditas.

Em face de todo o exposto, percebe-se a importância de o profissional do Direito possuir um conhecimento sistemático e multidisciplinar, a fim de se tornar um líder e um empreendedor de sucesso.

Referências:
 Disponível em: <http://www.oabgo.org.br/oab/sistema-de-inteligencia-e-mercado/marketing-juridico-artigos/veja-50-ideias-de-marketing-de-guerrilha-para-advogados/>. Acesso em 06/09/2016.
 Disponível em: <http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/advogado-corporativo/2016/01/27/direito-e-empreendedorismo/>. Acesso em 06/09/2016.
Imagem: <http://www.aurum.com.br/wp-content/uploads/2015/09/AURUM3.jpg>. Acessado em 06/09/2016.