Connect with us

Top 10 Fragmentadora de Papel para Comprar em 2023

Bianca Collaço

Publicado

em


Atualizado pela última vez em

 por Bianca Collaço
Imagem mostrando pedaços de papel que foram triturados por uma fragmentadora de papel

Está pesquisando pela melhor Fragmentadora de Papel? Então confira este nosso guia de compra com sugestões e dicas para acertar na sua escolha!

O que é uma fragmentadora de papel?

No ambiente dinâmico e interconectado dos escritórios modernos, a proteção da informação confidencial é uma prioridade essencial. Documentos contendo dados sensíveis, estratégicos ou pessoais são manuseados diariamente, exigindo medidas rigorosas para garantir que tais informações não caiam nas mãos erradas. É nesse contexto que a fragmentadora de papel se destaca como uma ferramenta indispensável para manter a segurança da informação e a eficiência operacional.

Uma fragmentadora de papel é um dispositivo projetado para transformar documentos em pequenos pedaços, tornando-os praticamente irreconhecíveis e impossíveis de serem reconstituídos. Essa tecnologia oferece uma solução eficaz tanto para uso doméstico quanto para empresas de todos os tamanhos. Seja para proteger a privacidade de informações financeiras, médicas ou jurídicas, ou para cumprir regulamentações de segurança de dados, a fragmentadora de papel desempenha um papel crucial na gestão da informação.

No ambiente empresarial, onde volumes significativos de dados sensíveis são manipulados diariamente, a fragmentação de documentos é ainda mais vital. Empresas lidam com informações estratégicas, planos de negócios, relatórios financeiros e outros documentos confidenciais que, ao atingirem o fim de sua vida útil, precisam ser descartados de maneira segura. A simples eliminação de documentos inteiros pode abrir brechas de segurança, permitindo que indivíduos mal-intencionados acessem informações valiosas. A fragmentadora de papel proporciona um nível de segurança muito maior, tornando a recuperação de dados praticamente impossível.

Além da segurança, a fragmentadora de papel também contribui para a sustentabilidade ambiental. O uso consciente de recursos é uma preocupação global, e o descarte seguro de papel através da fragmentação pode ser um passo na direção certa. Documentos fragmentados podem ser reciclados de maneira mais eficiente, reduzindo a necessidade de produção de papel virgem. Isso não apenas ajuda a preservar árvores e recursos naturais, mas também diminui a pegada de carbono geral.

Ao escolher uma fragmentadora de papel, é importante considerar vários fatores. A capacidade de corte é um dos principais critérios a serem observados. Fragmentadoras variam em sua capacidade de cortar documentos em pedaços menores, geralmente medidos em milímetros. Quanto menor a capacidade de corte, maior a segurança, pois os pedaços resultantes são mais difíceis de serem reconstituídos.

Outro aspecto a considerar é a capacidade de processamento, que se refere à quantidade de papel que a máquina pode fragmentar de uma só vez. Isso é especialmente relevante para empresas com grandes volumes de documentos para descartar. Além disso, a facilidade de uso, manutenção e recursos de segurança adicionais, como proteção contra sobreaquecimento e proteção contra atolamentos, também devem ser avaliados.

Também é importante lembrar que uma fragmentadora de papel, normalmente, é um equipamento que funciona com energia, ligado na tomada. Ou seja, é essencial o usuário averiguar qual a voltagem do equipamento que for comprar, para não correr o risco de a fragmentadora de papel não funcionar ou ficar danificada por ser de uma voltagem diferente.

A fragmentadora de papel é ums ferramenta indispensável na proteção da informação e na preservação da privacidade. Seja para indivíduos preocupados com sua segurança pessoal ou para empresas que buscam cumprir regulamentações de proteção de dados, esses dispositivos desempenham um papel fundamental. Ao investir em uma fragmentadora de papel de qualidade, você não está apenas garantindo a segurança de suas informações confidenciais, mas também contribuindo para a sustentabilidade ambiental através do descarte adequado de papel.

Veja mais: Melhor Impressora para Escritório 2023

Top 10 Fragmentadora de Papel

Fragmentadora de Papel AS890C-2 | Aurora

Fragmentadora de Papeis P/8Folhas ou 1cartao 220v, 01 Unidade, Procalc, AS890C-2, Preta

R$ 539,00
R$ 502,28
 em estoque
9 novos a partir de R$ 494,99
frete grátis
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Até 8 folhas A4 (75g/m²) ou 1 cartão de crédito
  • Corte em Partículas de 5,6 x 47 mm; 220V
  • Possui cesto de 13 litros
  • Botão seguro evita acidentes com crianças ou animais; Botão com 3 posições Auto/Off/Rev;
  • Sensor automático de presença de papel;

Nossa primeira indicação é a AS890C-2 da Aurora. Essa fragmentadora de papel tem um excelente custo benefício pelo que ela oferece, sendo um modelo adequado para demandas moderadas. Por essa razão, é uma boa escolha tanto para ter em casa como para pequenos escritórios e empresas, onde há necessidade para a fragmentação de documentos diversos, mas não com tanta intensidade.

Com capacidade para destruir até 8 folhas A4 (75g/m²) ou um cartão de crédito de forma eficaz, essa máquina oferece uma série de recursos que garantem a segurança dos dados e a comodidade do usuário. Seu mecanismo de corte em partículas de 5,6x47mm assegura que os documentos sejam transformados em fragmentos praticamente impossíveis de serem reconstituídos. Com a capacidade de exceder o nível de segurança P-3 conforme a Norma DIN 66399, essa fragmentadora oferece um alto grau de proteção, adequado para informações sensíveis.

Além de sua eficiência, a fragmentadora de papel foi projetada com o conforto do usuário em mente. Seu baixo nível de ruído, operando a menos de 73 decibéis, garante um ambiente de trabalho tranquilo. E seu design clássico e compacto, juntamente com um cesto de 13 litros, tornam-na uma adição discreta a qualquer espaço.

A segurança também é uma prioridade nesta fragmentadora. Um botão seguro evita acidentes envolvendo crianças ou animais de estimação, proporcionando tranquilidade aos usuários. Com um botão de controle de 3 posições (Auto/Off/Rev), a operação é intuitiva e conveniente. Também é equipada com um sensor automático detecta a presença de papel, iniciando automaticamente o processo de fragmentação quando necessário. A proteção contra superaquecimento do motor assegura a durabilidade da máquina, enquanto um sensor de presença do cesto impede que a fragmentação ocorra sem o cesto adequado.

A fragmentadora foi projetada com eficiência em mente. Com um ciclo de uso de 2 minutos e um período de descanso de 30 minutos, garante uma operação suave e contínua. Sua abertura de entrada de 220mm acomoda documentos de diversos tamanhos, facilitando o processo de fragmentação. Além disso, a fragmentadora não decepciona em termos de desempenho. Com a capacidade de fragmentar mais de 230 folhas por hora, oferece uma solução eficiente para lidar com grandes volumes de documentos. Esse modelo ainda está disponível nas voltagens 110V ou 220V, podendo ser utilizada em diferentes sistemas elétricos.

Fragmentadora de Papel AS1800CD | Aurora

FRAGMENTADORA DE PAPEL AURORA 18 FOLHAS, CORTE PARTICULAS 4 X 31MM, 110v

R$ 1.779,33  em estoque
5 novos a partir de R$ 1.769,86
frete grátis
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Fragmenta até 18 folhas A4 (75g/m²), or 1 CD/DVD ou 1 cartão de crédito
  • Corte em Partículas de 4 x 31 mm; 110V
  • Possui cesto de 22,7 litros
  • Botão com 3 posições Auto/Off/Rev;
  • Sensor automático de presença de papel;

Pensando em um público com maiores necessidades, indicamos o modelo AS1800CD, também Aurora, que se propõe a atender às necessidades de escritórios e ambientes empresariais que valorizam a privacidade e a praticidade. Com um corte preciso em partículas de 4 x 31 mm, essa fragmentadora oferece um nível de segurança P4 de acordo com a norma DIN 66399. Esse tipo de corte torna os documentos virtualmente irreconhecíveis e impossíveis de serem reconstituídos, garantindo a confidencialidade dos dados. A experiência do usuário é aprimorada com um baixo nível de ruído, operando a apenas 65dB. Isso permite um ambiente de trabalho mais tranquilo, sem perturbações desnecessárias.

A capacidade robusta de fragmentação é um dos destaques desta máquina. Com a capacidade de destruir até 18 folhas A4 (75 g/m²) de uma só vez, ela lida facilmente com volumes substanciais de documentos. Além disso, a fragmentadora é versátil, capaz de destruir CD/DVD, cartões de banco, pequenos grampos e clipes, proporcionando uma solução completa para o descarte seguro de informações. Sua abertura de entrada com 225 mm acomoda diferentes tamanhos de papel, facilitando o processo de fragmentação. Com um ciclo de funcionamento de 30 minutos e um intervalo de descanso de 45 minutos, a fragmentadora oferece uma operação eficiente e contínua.

A tecnologia avançada desta fragmentadora inclui uma série de sensores inteligentes. O sensor de presença de papel garante que a fragmentação ocorra apenas quando houver documentos na abertura. O sensor de cesto cheio/desalinhado assegura um funcionamento suave e evita bloqueios. O sensor de superaquecimento e sobrecarga protege o motor, prolongando a vida útil da máquina. Além disso, a fragmentadora é projetada para oferecer controle total ao usuário. A reversão pode ser ativada manualmente ou automaticamente em caso de atolamento. Controles manuais, como avanço, retrocesso e liga/desliga, proporcionam operação personalizada.

A mobilidade é outro ponto forte dessa fragmentadora. Equipada com rodinhas, ela pode ser facilmente deslocada de um local para outro, adaptando-se às necessidades do ambiente. Com uma capacidade de cesto de 22,7 litros, a fragmentadora permite uma fragmentação contínua antes de esvaziar o cesto. Isso otimiza o tempo e a produtividade. Com uma potência de 396 W, essa máquina é eficiente energeticamente e está disponível nas voltagens 110V ou 220V, garantindo compatibilidade com diferentes sistemas elétricos. Compacta e funcional, essa fragmentadora pesa apenas 10 kg e possui dimensões de 366 x 280 x 530 mm (C x L x A), tornando-a fácil de integrar a qualquer espaço de trabalho.

Fragmentadora de Papel OF005 | Multilaser

Fragmentadora De Papeis E Cartões 11L 127V Preta Multilaser - OF005

R$ 434,73  em estoque
3 novos a partir de R$ 434,73
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • 11L de capacidade
  • Janela de visualização de compartimento cheio
  • Fragmenta até 5 folhas em apenas uma vez
  • Consegue picotar cartões de crédito ou que possuam materiais equivalentes e possui modo reverso
  • Fragmenta papéis e cartões em tiras de 4 x 30mm

Esse modelo da Multilaser é uma boa opção para quem não tem tanta demanda, sendo uma escolha compatível com o ambiente doméstico ou pequenos escritórios e empresas. Com uma capacidade de 11 litros, essa máquina oferece a solução perfeita para o descarte seguro de informações sensíveis.

Sua janela de visualização de compartimento cheio permite um monitoramento fácil do nível de fragmentos, garantindo um funcionamento contínuo e evitando congestionamentos. Com a capacidade de fragmentar até 5 folhas de uma só vez, essa fragmentadora é uma opção ágil para ambientes que requerem um processamento rápido.

Além de papéis, essa máquina é versátil o suficiente para picotar cartões de crédito e materiais equivalentes. Com um modo reverso, a fragmentação é ainda mais eficiente e livre de problemas. As tiras resultantes da fragmentação têm o tamanho de 4 x 30mm, garantindo que os documentos e cartões sejam irreconhecíveis e impossíveis de serem reconstituídos, proporcionando um nível confiável de segurança.

Destacando seu compromisso com a eficiência energética, essa fragmentadora possui a Etiqueta Nacional de Eficiência Energética (ENCE) com um impressionante índice de 99%. Isso não apenas contribui para um menor consumo de energia, mas também reflete uma abordagem sustentável em sua operação. Também está disponível nas voltagens 110V ou 220V.

Fragmentadora de papel AS810SD | Aurora

Fragmentadora de papel Aurora tiras 8 folhas+ cartão+CD/DVD 127V

R$ 447,75
R$ 416,93
 em estoque
12 novos a partir de R$ 407,59
frete grátis
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Tipo corte: Tiras
  • Nº máximo de folhas: 08
  • Capacidade corte: 01 cartão de crédito ou 01 CD
  • Velocidade de fragmentação: 03 metros por minuto
  • Volume da lixeira: 12 Litros

Outro modelo que tem uma proposta semelhante é a AS810SD da Aurora. Essa máquina é capaz de lidar com uma variedade de materiais, desde até 8 folhas A4 (75g/m2) e cartões de crédito a CDs, tornando-a uma solução versátil para escritórios e uso doméstico. Com um corte em tiras de 6mm, essa fragmentadora oferece um nível de segurança P-2 de acordo com a Norma DIN 66399. Isso garante que os documentos e materiais fragmentados sejam suficientemente destruídos para proteger informações sensíveis.

A fragmentadora também oferece recursos de operação intuitivos, incluindo um botão com 3 posições (Auto/Off/Rev) e um sensor automático de presença de papel, que inicia automaticamente o processo de fragmentação quando necessário. Com uma abertura de entrada de 230mm, essa fragmentadora acomoda facilmente diferentes tamanhos de documentos, tornando o processo de fragmentação mais prático.

Para garantir a durabilidade e a confiabilidade, a máquina possui proteção contra superaquecimento do motor, mantendo-a em ótimo estado de funcionamento ao longo do tempo. O design elegante é complementado por um cesto de 12 litros, proporcionando espaço para fragmentação contínua antes de esvaziar o cesto. Além disso, o botão seguro evita acidentes envolvendo crianças ou animais de estimação, garantindo uma operação segura e tranquila. E o baixo nível de ruído, operando a menos de 73 decibéis, assegura um ambiente de trabalho calmo e produtivo. Também está disponível nas voltagens 110V ou 220V.

Fragmentadora de Papel AS1018CD | Aurora

Fragmentadora de Papel 10 folhas AS1018CD 110v - Aurora

R$ 889,90  em estoque
8 novos a partir de R$ 889,90
frete grátis
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Fragmentadora de papeis, para 10 folhas, Ou 1cartão e 1cd 110v, unidade
  • Cor: Multicor
  • Marca: Aurora
  • Quantidade no pacote: 1

A AS1018CD da Aurora é uma fragmentadora de papel projetada para atender às demandas de ambientes domésticos e empresariais, essa máquina incorpora características excepcionais para garantir a confidencialidade dos seus documentos. Com a capacidade de fragmentar até 10 folhas A4 (75g/m²), cartões de crédito ou CD/DVD, essa fragmentadora oferece versatilidade para diversos materiais. Seu corte em partículas de 4 x 37mm excede o nível de segurança P-4 da Norma DIN 66399, garantindo que suas informações estejam inacessíveis.

O baixo nível de ruído, com menos de 70 decibéis, proporciona um ambiente de trabalho tranquilo enquanto você cuida da segurança dos seus documentos. O design ergonômico é aprimorado por uma alça que facilita a limpeza do cesto. Com capacidade para 20 litros, o cesto permite a fragmentação contínua antes de esvaziá-lo, otimizando o processo. Com um ciclo de uso de 2 minutos e um intervalo de descanso de 30 minutos, a fragmentadora mantém uma operação eficiente e confiável.

Recursos de segurança, como o botão seguro para evitar acidentes com crianças ou animais, o botão de 3 posições (Auto/Off/Rev) e o sensor automático de presença de papel, garantem um funcionamento seguro e conveniente. Além disso, a fragmentadora possui proteção contra superaquecimento do motor, assegurando a longevidade da máquina. A presença do cesto é monitorada por um sensor, evitando que a fragmentação ocorra sem o cesto adequado.

A abertura de entrada de 230mm acomoda documentos de diferentes tamanhos, simplificando o processo de fragmentação. Com a capacidade de fragmentar mais de 250 folhas por hora, essa máquina oferece um desempenho excepcional para lidar com grandes volumes de documentos. Além disso, também está disponível nas voltagens 110V ou 220V.

Fragmentadora De Papel AS120CM | Aurora

Aurora, Fragmentadora De Papel 120 Folhas AS120CM - 127V

R$ 2.744,72  em estoque
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Fragmentadora De Papel Aurora 120 Folhas AS120CM - 127V
  • Marca do produto: Aurora
  • Cor do produto: Preto
  • Tamanho do produto: Standard

Agora vamos para um modelo mais robusto, a AS120CM da Aurora é uma fragmentadora de papel com uso contínuo de 30 minutos é um aliado essencial para manter a segurança da informação. Equipada com sensores de segurança, garante uma operação tranquila e protegida. Com um nível de segurança P4, proporciona a destruição confiável de documentos confidenciais.

Seu cesto de 19 litros permite a fragmentação sem interrupções, otimizando o processo. As rodas embutidas tornam o deslocamento fácil e conveniente, enquanto suas dimensões compactas de 34 x 42 x 47 cm a tornam um complemento prático para qualquer espaço. Com um nível de ruído de apenas 55 dB, a operação é silenciosa e discreta.

Recursos adicionais, como start-stop automático, operação à prova de atolamento, sensor de depósito cheio e modo de poupança de energia, proporcionam um desempenho otimizado. Com garantia do fabricante de 6 meses, essa fragmentadora é uma escolha confiável para proteger suas informações e manter a eficiência. Ainda está disponível nas versões 110v e 220v.

Fragmentadora de Papel | Menno

Fragmentadora, Menno, De Papeis, Secreta, 10C, 127V, Para 10 Folhas

R$ 862,55  em estoque
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Fragmentadora De Papel
  • Para 10 Folhas
  • Tempo De Funcionamento: 6 Minutos Ligada E 17 Minutos Desligada

Esse modelo da Menno é outra possibilidade para uso intermediário. Com uma abertura de inserção de 220 mm, ela lida com documentos de diferentes tamanhos de maneira conveniente. Com capacidade máxima de 10 folhas, essa máquina opera com eficiência para proteger suas informações.

Seu tipo de fragmentação em partículas de 4 x 35 mm garante a segurança dos seus documentos, enquanto a velocidade de fragmentação de 2,2 m/min e a capacidade de fragmentação de 20,8 kg/h a tornam um dispositivo ágil para ambientes dinâmicos.

Equipada com acionamento por botão e sensor eletrônico automático, a fragmentadora oferece flexibilidade na operação. A reversão por botão evita bloqueios e facilita a utilização. Com um tempo de funcionamento de 6 minutos ligada e 17 minutos desligada, essa máquina é eficiente em seu consumo de energia. Além disso, seu nível de ruído de 63 dB A assegura um ambiente de trabalho tranquilo.

Com uma lixeira de 20 litros, você pode fragmentar de forma contínua antes de esvaziar. O sensor de segurança para a lixeira a torna ainda mais confiável. Com dimensões de 360 mm (L) x 220 mm (P) x 396 mm (A) e um peso bruto de 5,4 kg (peso líquido de 4,9 kg), a fragmentadora é compacta e fácil de integrar ao seu espaço de trabalho. Também disponível nas versões 110V e 220V.

Fragmentadora de Papel FT-220CC | FragTech

Fragmentadora com Cesto até 35 Litros - 16 Folhas Corte em Partículas 110v

R$ 1.999,00  em estoque
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • FRAGMENTADORA PARA (PAPEIS, CARTÕES MAGNÉTICOS, GRAMPOS, CLIPS 2/0, CDs e DVD) Cor: Branca e cinza Nº máximo de folhas (75g): 18 unidades por vez Nº máximo de cd/dvd/cartões/grampos/clips: 01 por vez Abertura de inserção: 230mm Tipo de fragmentação: Partículas Nível de segurança: P4 (Norma DIN 66399) Tamanho da partícula: 4mm X 35mm Velocidade de fragmentação: 3 metros/min Acionamento: Botão/ sensor Nível de ruído:
  • Fragmentadora com Cesto até 35 Litros - 18Folhas Corte em Partículas 127v
  • Fragmentadora de Papel Cesto até 35 Litros

Essa fragmentadora de papel da FragTech tem tempo de funcionamento de 15 minutos e 10 minutos de repouso, sendo projetada para uma operação eficiente e duradoura. Ela lida com uma variedade de materiais, incluindo papéis, cartões magnéticos, grampos, clips, CDs e DVDs, tornando-a perfeita para escritórios movimentados. Com capacidade máxima para 16 folhas (70g) por vez e uma abertura de inserção de 230mm, essa fragmentadora lida facilmente com documentos de diversos tamanhos. O tipo de fragmentação em partículas com tamanho de 4mm x 20mm garante um nível de segurança P4, em conformidade com a Norma DIN 66399.

A velocidade de fragmentação de 3 metros/min e capacidade média de fragmentação de 36kg/h garantem um processamento ágil de documentos. Recursos inteligentes, como acionamento por botão/sensor, sensor de segurança, sensor de lixeira cheia e sensor de segurança para a lixeira, proporcionam uma operação suave e protegida. O nível de ruído inferior a 55 dB, o recipiente exclusivo para cartão, CD/DVD e papel, as rodinhas para rodízio e as engrenagens metálicas, combinam funcionalidade e durabilidade. Com dimensões de 372 x 322 x 600 mm e peso líquido de 12,3 kg, a fragmentadora é compacta e fácil de integrar ao seu espaço de trabalho.

A fragmentadora oferece uma série de recursos avançados, incluindo reversão manual e no botão, sensor automático de presença de papel, indicadores de superaquecimento e lixeira cheia, bem como proteção contra sobrecarga e superaquecimento.

Fragmentadora de Papel 1815C | COUNTERTECH

Fragmentadora de Papel 1815C 15 folhas 18 litros 110v

R$ 1.298,08  em estoque
3 novos a partir de R$ 1.269,00
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • FRAGMENTADORA
  • Condição do Item: Novo
  • modelo: Fragmentadora De Papel 1815C 15 Folhas 18 Litros 110V

Essa fragmentadora de papel da Countertech tem capacidade de corte para 15 folhas A4, 1 CD/DVD e 1 cartão, podendo lidar com uma variedade de materiais, garantindo a segurança das suas informações. O tipo de corte em partículas de 4 x 35mm assegura o nível de segurança P4, conforme as normas estabelecidas.

Com uma largura de entrada de 220mm, essa fragmentadora acomoda facilmente diferentes tamanhos de documentos. A velocidade de corte de 2,6m/min para 15 folhas garante eficiência em sua operação. As funções de corte abrangem papel, cartões de crédito, grampos e CDs, proporcionando versatilidade no descarte seguro. Com uma capacidade de lixeira de 18 litros, você pode fragmentar sem interrupções antes de esvaziar.

O nível de ruído superior a 56 dB garante uma operação tranquila no ambiente de trabalho. Disponível em preto, essa fragmentadora possui um design compacto com dimensões de 36 x 24,5 x 48 cm, facilitando a sua integração em diferentes espaços. Com um peso de 5,5 kg, a fragmentadora é portátil e prática de usar. Com ciclos de trabalho de 8 minutos ligada e 50 minutos desligada, essa máquina mantém um desempenho eficiente ao longo do tempo.

Fragmentadora de Papel | GBC

Fragmentadora de Papel, GBC, 150X, Automática, 127V

R$ 3.890,00  em estoque
2 novos a partir de R$ 3.890,00
Amazon.com.br
atualizado em 14 de julho de 2024 07:26

Especificações

  • Fragmenta automaticamente até 150 folhas ou até 8 folhas no compartimento manual.
  • Destrói clipes e grampos pequenos fixados em papéis, tritura cartões magnéticos.
  • Possui cesto com capacidade de 44 litros.
  • É silenciosa, com nível de ruído de 55dB.
  • Os rolos levam automaticamente o papel para os cortadores sem a sua intervenção - permitindo que você tenha mais tempo para outras tarefas importantes.

Por fim, nosso último modelo também é uma máquina para altas demandas, da marca GBC. Essa máquina robusta possui recursos excepcionais que proporcionam eficiência e praticidade em um único pacote. Com a capacidade de fragmentar automaticamente até 150 folhas ou, se preferir, até 8 folhas no compartimento manual, essa fragmentadora oferece versatilidade para atender às suas necessidades específicas.

Destruição completa é a regra, pois ela pode lidar facilmente com clipes e grampos pequenos fixados em papéis, além de triturar cartões magnéticos com eficiência. O cesto generoso com capacidade de 44 litros permite que você processe uma grande quantidade de documentos antes de precisar esvaziá-lo.

Sua operação silenciosa, com um nível de ruído de apenas 55dB, proporciona um ambiente de trabalho tranquilo e produtivo. Uma característica excepcional é o sistema de rolos automáticos que conduzem o papel para os cortadores, dispensando a intervenção manual. Isso libera seu tempo para outras tarefas importantes. Com garantia do fabricante de 2 anos contra defeitos de fabricação, essa fragmentadora é uma escolha confiável para proteger suas informações. Com um peso de 15,3 quilogramas, essa fragmentadora é estável e segura durante a operação.

Como escolher minha fragmentadora de papel?

Escolher a fragmentadora de papel certa envolve considerar vários fatores para garantir que atenda às suas necessidades específicas. É preciso avaliar quantas folhas de papel ou materiais você planeja fragmentar regularmente, decidir o tipo de corte que você deseja: tiras, partículas ou micro corte. Quanto mais pequenas as partículas, maior o nível de segurança.

Falando em segurança, é outro aspecto importante, que vai depender do tipo de documento que você pretende fragmentar. A Norma DIN 66399 classifica os níveis de segurança de P-1 (tiras) a P-7 (microcorte).

Também é importante verificar se a fragmentadora possui recursos como sensor de segurança, reversão automática, capacidade de fragmentar cartões e CDs/DVDs, proteção contra superaquecimento e sensor de lixeira cheia.

Além disso, é preciso avaliar aspectos relacionados com o local de trabalho, como o tamanho da fragmentadora de papel, onde é possível fazer a instalação, o nível de ruído, caso ela possa ficar em um local com mais pessoas trabalhando, dentre outros.

Também você deve avaliar seu orçamento, lembrando que você está investindo na proteção de informações confidenciais, de forma que é importante escolher uma que atenda adequadamente às suas necessidades de segurança e eficiência.

O que mais eu posso saber sobre a fragmentadora de papel?

Qual é a melhor fragmentadora de papel?

A escolha da melhor fragmentadora de papel depende das suas necessidades específicas, como volume de fragmentação, nível de segurança desejado, tipos de materiais a serem fragmentados e seu orçamento. Algumas das principais marcas são Aurora e Menno.

Como funciona uma fragmentadora de papel?

Nas fragmentadoras automáticas, é só erguer a cobertura do compartimento de papel, organizar as folhas em pilha e fechar a tampa. De maneira automática, a máquina iniciará o procedimento de fragmentação, dispensando qualquer tipo de monitoramento.

Como desentupir fragmentadora de papel?

Tire o equipamento da tomada e confira se o cesto de armazenamento está cheio. Se estiver, esvazie-o. Se não for esse o problema, observe se sua fragmentadora possui modo reverso. Ligue o equipamento e aperte o botão. Inverta para o modo normal e reverso algumas vezes até desobstruir.

Como limpar a fragmentadora de papel?

Desligue a fragmentadora e desconecte-a da tomada. Retire o cesto de resíduos, esvazie-o e limpe-o com um pano seco ou úmido. Use um pincel macio ou uma escova para remover resíduos de papel ou poeira da entrada de papel ou nos rolos de corte. Limpe a parte externa com um pano úmido.

Como lubrificar fragmentadora de papel?

Basta colocar algumas gotas de lubrificante em óleo específico pra máquinas e equipamentos numa folha de papel e colocar ela na fragmentadora.

Como amolar fragmentadora de papel?

Amolar uma fragmentadora de papel não é recomendado, pois a fragmentadora utiliza lâminas de corte especialmente projetadas para fragmentar papel, cartões e outros materiais.

Por que triturar papel?

A fragmentação do papel emerge como uma abordagem altamente eficaz para aqueles que têm a preocupação de realizar um descarte adequado desse material, simplificando o encaminhamento do papel para os procedimentos de reciclagem.

Porque não pode amassar o papel?

Amassar o papel não impede sua reciclagem, mas as fibras constituintes do papel tendem a perder sua resistência de maneira mais rápida. Por outro lado, quando o papel é rasgado ou triturado, além de ocupar menos espaço, a maioria das fibras permanece intacta, facilitando a reciclagem.

O que fazer com papel triturado?

O papel triturado pode ser reciclado junto com outros materiais recicláveis. Se for proveniente de materiais orgânicos, pode ser adicionada à compostagem. Escolas ou organizações sem fins lucrativos podem estar interessadas em receber papel triturado para uso em projetos educacionais ou de artesanato.

Qual o tipo de papel que pode ser reciclado?

Vários tipos de papel podem ser reciclados, como folhas de impressão, papéis de rascunho, envelopes, cadernos, jornais e revistas, caixas de papelão, embalagens de papel e papel de embrulho, dentre vários outros.

Referências

Amazon
Imagem: Pixabay

Continuar lendo

Constitucional

Reputação Ilibada: Compromisso com a Ética e a Transparência

Redação Direito Diário

Publicado

em

reputação ilibada

Reputação ilibada refere-se a uma reputação que é inteiramente limpa, sem mácula ou mancha. Esse termo é utilizado com frequência em contextos legais e profissionais para descrever um indivíduo cuja conduta é considerada irrepreensível e moralmente íntegra.

No contexto legal, a reputação ilibada é um requisito fundamental para juízes e advogados, cuja integridade é vital para a justiça. Na política, a confiança do público em seus representantes depende fortemente da percepção de sua reputação. Profissionais como médicos e contadores também dependem de uma reputação sem mácula para assegurar a confiança de seus clientes e pacientes.

Em se tratando mais especificamente da realidade jurídica, trata-se de um conceito importante, particularmente no contexto do direito público e privado, figurando como requisito para a investidura em diversos cargos públicos.

Definição de Reputação Ilibada

Não existe especificamente uma definição legal para o termo “reputação ilibada”, de modo que podemos nos perguntar como é possível

A palavra “ilibado” deriva do latim “illibatus”, referindo-se a algo limpo. Segundo o Dicionário Aurélio (2010, online), o termo significa “não tocado”, ou mesmo “puro, incorrupto”.

Manter uma reputação ilibada requer um compromisso contínuo com a ética, a transparência e a responsabilidade. Práticas como a honestidade, o cumprimento das leis e a manutenção de padrões profissionais elevados são essenciais. Além disso, é importante evitar comportamentos que possam comprometer a integridade pessoal e profissional.

Em 1999, em resposta à consulta formulada pelo então presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães, a Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ), elaborou uma definição para o termo. De acordo com a CCJ, no intuito de aclarar o conceito constitucional, “considera-se detentor de reputação ilibada o candidato que desfruta, no âmbito da sociedade, de reconhecida idoneidade moral, que é a qualidade da pessoa íntegra, sem mancha, incorrupta”.

Trata-se de uma condição subjetiva, que se associa à boa fama, ao comportamento público e à respeitabilidade do pretendente. A reputação do candidato deve inspirar a estima de seus pares, ante sua conduta proba, compatível com o cargo (RODRIGUES JUNIOR; AGUIAR, 2009).

O aludido requisito relaciona-se com os princípios da Administração Pública, ante a função a qual se pretende exercer. Vincula-se, principalmente, ao princípio da moralidade, o qual exige a atuação ética dos agentes públicos. Dessa forma, deve-se observar os antecedentes profissionais dos candidatos a cargos públicos, atentando se há máculas em sua atuação pregressa.

Destaque-se que o princípio da presunção de inocência não possui caráter absoluto neste contexto, de acordo com a jurisprudência. Assim, em caso de dúvida fundada sobre a reputação ilibada do candidato, é possível sobrepor o interesse público ao privado. Desse modo, evita-se que um indivíduo, ainda que apenas possivelmente, inapto assuma a função pública.

Reputação Ilibada na Legislação Brasileira

É possível encontrar menção em diversos momentos à reputação ilibada do indivíduo como necessária em certas ocasiões. A Constituição federal menciona a necessidade de “reputação ilibada” nos seguintes casos:

Art. 101. O Supremo Tribunal Federal compõe-se de onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais de trinta e cinco e menos de setenta anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada.

[…]

Art. 128 § 1º O Ministério Público da União tem por chefe o Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente da República dentre integrantes da carreira, maiores de trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal, para mandato de dois anos, permitida a recondução.

Lei Orgânica da Magistratura Nacional (LOMAN)

Além da Carta Magna, podemos mencionar legislação infraconstitucional que, apesar de não trazerem literalmente o termo “reputação ilibada”, fazem menção à necessidade de se manter a imagem proba, reforçando o compromisso com a ética.

Assim, podemos citar a Lei de Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/1992), que visa proteger o patrimônio público e punir atos de improbidade, sendo que a prática de tais atos pode comprometer a reputação ilibada do servidor público.

Também a Lei de Licitações estabelece critérios para a participação de empresas em licitações públicas, exigindo que as empresas participantes de licitações comprovem sua idoneidade e regularidade fiscal.

Ainda, mencionemos a Lei da Ficha Limpa, uma lei de iniciativa popular, que busca tornar mais rigorosos os critérios de inelegibilidade para cargos eletivos, visando melhorar a moralidade e a ética na política brasileira.

Sobre a Lei da Ficha Limpa, podemos ver aqui algumas mudanças que ela trouxe no ordenamento jurídico pátrio.

Análise Jurisprudencial

A reputação ilibada também é foco de decisões judiciais que buscam pacificar o entendimento sobre quando se considera configurada a reputação ilibada, bem como verificar os critérios objetivos para que se possa esclarecer para a sociedade quando se tem ou não a índole necessária para assumir o cargo público.

Mencionem-se  decisões sobre o assunto:

ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. MANDADO DE SEGURANÇA. NOMEAÇÃO PARA CARGOS ESTATUTÁRIOS DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS. REQUISITOS LEGAIS NÃO PREENCHIDOS. RESOLUÇÃO Nº 3041/02-BACEN. REPUTAÇÃO ILIBADA NÃO COMPROVADA. SEGURANÇA DENEGADA. […]

3. O fundamento do ato requestado foi a ausência da reputação ilibada do impetrante em decorrência do fato de sua conduta estar sendo objeto de investigação em processo administrativo, que lhe infringiu uma penalidade. Há que se saber que mesmo não estando concluído o processo, e estando pendente de recurso, com possibilidade de julgamento favorável ao impetrante, ainda assim, a reputação dele estaria maculada, não mais se configurando como ilibada.

4. Não obstante o caráter subjetivo que envolve o conceito de reputação ilibada, ele sempre vai implicar em limpidez de conduta, na ausência de mácula e de impureza para sua configuração. Na hipótese vertente, ante a relevância do cargo a ser assumido pelo postulante, fica evidente que o processo investigatório a que ele está sendo submetido o coloca sob suspeita, o que não se compatibiliza com as exigências legais para o preenchimento do referido cargo. […]

6. Diante das próprias circunstâncias em que se ergue o sistema financeiro nacional, que tem como pilar fundamental a confiança, não se pode prescindir do rigor dos critérios para se analisar o perfil daqueles que vão representá-lo perante toda a sociedade, razão pela qual, não se reveste de ilegalidade o ato apontado como coator. Apelação improvida. (TRF-5, Apelação nº 19236-68.2012.4.05.8300, Relator: Des. Fed. José Maria Lucena, Primeira Turma, Data de Julgamento: 27.03.2014, Data de Publicação: 04.04.2014, grifo nosso).

Ainda, podemos mencionar:

ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. MANDADO DE SEGURANÇA. AUTORIDADES COATORAS. LEGITIMIDADE PASSIVA. CARGOS DE DIREÇÃO EM INSTITUIÇÃO FINANCEIRA. NÃO HOMOLOGAÇÃO DE NOME DE CANDIDATO ELEITO. REPUTAÇÃO ILIBADA. PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA. […]

É cediço, na jurisprudência e doutrina pátrias, que o conceito de reputação ilibada é amplo e indeterminado, permitindo uma correlata avaliação discricionária da Administração Pública. Conquanto a prévia condenação criminal transitada em julgado seja imprescindível para o Estado forçar o acusado a cumprir pena privativa de liberdade, tal exigência não se estende à imposição de restrições de outra ordem (não criminal, ou seja, restrições administrativas, creditícias etc.), as quais não se equiparam a ‘execução provisória de decisão condenatória penal’, constituindo, antes, medida de natureza cautelar em prol do interesse público. (TRF-4, Apelação nº 5048060-62.2013.4.04.7000, Relatora: Des. Fed. Vivian Josete Pantaleão Caminha, Quarta Turma, Data de Julgamento: 01.07.2014, Data de Publicação: 02.07.2014, grifo nosso).

Destarte, constata-se que a reputação ilibada trata-se de requisito subjetivo para investimento em cargo público. Portanto, para ser detentor de reputação ilibada, deve-se pautar pela ética exigida para o exercício do cargo pretendido, não se permitindo corromper e nem envolver em escândalos que atentem contra o interesse público.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ILIBADO. In: FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Eletrônico Aurélio. 5. Ed. Positivo, 2010. Disponível em: <https://contas.tcu.gov.br/dicionario/home.asp>. Acesso em: 29 dez. 2016.

RODRIGUES JUNIOR, Otavio Luiz; AGUIAR, Alexandre Kehrig Veronese. Vaga no Supremo: Críticas a Toffoli não se sustentam diante da CF. Revista Consultor Jurídico, 23 set. 2009. Disponível em: <http://www.conjur.com.br/2009-set-23/criticas-toffoli-nao-sustentam-diante-constituicao>. Acesso em: 29. dez. 2016.

SENADO FEDERAL. Reputação ilibada é a qualidade da pessoa íntegra, define CCJ. Disponível em: <http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/1999/09/29/reputacao-ilibada-e-a-qualidade-da-pessoa-integra-define-ccj/>. Acesso em: 29 dez. 2016.

Continuar lendo

Artigos

Processo de execução na Lei 13.105/15

Redação Direito Diário

Publicado

em

Processo de execução na Lei 13.105/15

INTRODUÇÃO

O processo de execução tem como objetivo a satisfação de um título executivo (art. 783 – 785, CPC), não há execução sem título executivo, aquele que é assim determinado por lei. Certeza, exigibilidade e liquidez são as três características do título executivo, o título que não portar essas características, será a execução extinta. A efetivação do crédito é premissa fundamental da execução.

Para que o credor instaure a execução deverá demonstrar que cumpriu a sua parte, do contrário, a execução será extinta. Não será possível instaurar execução caso o devedor tenha tido o seu crédito satisfeito, conforme o art. 788, NCPC.

Também não será possível promover a execução, aquele exequente que estiver em posse de bem do executado.

1 Títulos executivos

A execução se iniciará com a existência de título executivo. Não há fase de liquidação de sentença para títulos executivos extrajudiciais, pois como o nome já diz, é para sentença ilíquida e os extrajudiciais já devem ser certo, exigível e líquido.

1.1 Classificação

Os títulos executivos são judiciais, outros são extrajudiciais, que foram considerados títulos executivos por lei. Os judiciais não necessitam de um processo autônomo para forçar o pagamento do devedor, vão somente se sujeitar a fase de cumprimento de sentença, já que esta é o título executivo. A sentença arbitral também será título executivo judicial, por equiparação. Vejamos um exemplo de julgado sobre um título executivo judicial:

PROCESSO CIVIL. RECURSO ESPECIAL REPRESENTATIVO DA CONTROVÉRSIA. ART. 543-C DO CPC. EXEQUIBILIDADE DE SENTENÇAS NÃO CONDENATÓRIAS. ARTIGO 475-N, I, DO CPC.

1. Para fins do art. 543-C do CPC, firma-se a seguinte tese: “A sentença, qualquer que seja sua natureza, de procedência ou improcedência do pedido, constitui título executivo judicial, desde que estabeleça obrigação de pagar quantia, de fazer, não fazer ou entregar coisa, admitida sua prévia liquidação e execução nos próprios autos”.

2. No caso, não obstante tenha sido reconhecida a relação obrigacional entre as partes, decorrente do contrato de arrendamento mercantil, ainda é controvertida a existência ou não de saldo devedor – ante o depósito de várias somas no decorrer do processo pelo executado – e, em caso positivo, qual o seu montante atualizado. Sendo perfeitamente possível a liquidação da dívida previamente à fase executiva do julgado, tal qual se dá com as decisões condenatórias carecedoras de liquidez, deve prosseguir a execução, sendo certa a possibilidade de sua extinção se verificada a plena quitação do débito exequendo.

3. Recurso especial provido.

(STJ – REsp n. 1.324.152/SP, relator Ministro Luis Felipe Salomão, Corte Especial, julgado em 4/5/2016, DJe de 15/6/2016.)

    Os extrajudiciais, todavia, irão ensejar o processo de execução. Conforme o art. 772, NCPC, o juiz terá a possibilidade de buscar mais informações acerca do patrimônio ou outras que possam auxiliar no prosseguimento da execução.

    Deverá o juiz assegurar a confidencialidade de algumas destas informações por serem muito intimas que não merecem ser públicos a luz do interesse público, se estas forem passíveis de exceções ao princípio da publicidade. São letra de câmbio, nota promissória, contrato garantido por hipoteca, penhor, anticrese ou outra garantia real, contrato de seguro de vida em caso de morte, todos os demais títulos que a lei atribuir expressamente característica de título executivo e outros dispostos no art. 784, CPC.

    Vejamos um exemplo de julgado sobre um título executivo extrajudicial:

    PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO INTERNO. INOVAÇÃO RECURSAL. EXAME. INVIABILIDADE. TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL (CONTRATO ADMINISTRATIVO). EMPENHO DA DESPESA. AUSÊNCIA. INEXIGIBILIDADE.

    1. É defeso à parte inovar em sede de agravo interno, apresentando argumento não esboçado nas contrarrazões ao apelo especial, dada a preclusão consumativa.

    2. De acordo com a jurisprudência do STJ, o empenho da despesa pública é uma das fases indispensáveis para o pagamento de dívidas dos entes públicos, de modo que a sua ausência “torna os contratos firmados com a Administração Pública inexigíveis e ilíquidos” (AgInt no AREsp 1.448.364/SP, relator Ministro Paulo Sérgio Domingues, Primeira Turma, julgado em 30/10/2023, D Je de 3/11/2023).

    3. Ao entender que a “mera alegação do gestor público da falta de empenho de notas fiscais e da irregularidade do contrato e/ou de procedimento licitatório não é suficiente para desconstituir o crédito do contratado”, o Tribunal local discrepa da orientação preconizada nesta Corte Superior, sendo válido ressaltar que o exame da matéria, no caso concreto, não depende do reexame do contexto fático-probatório encartado nos autos.

    4. Agravo interno desprovido.

    (STJ – AgInt no AREsp n. 2.339.479/GO, relator Ministro Gurgel de Faria, Primeira Turma, julgado em 17/6/2024, DJe de 26/6/2024.)

      Aquela transação que for homologada por juiz será título executivo judicial. A existência de um título executivo extrajudicial não impede o credor de iniciar um processo de conhecimento para adquirir um título executivo judicial.

      1.2 Cumulação de títulos executivos

      Conforme o art. 780, NCPC, o exequente poderá cumular execuções se o juízo competente for o mesmo, bem como o procedimento e o devedor.

      2 Execução por quantia certa

      Ocorre pela expropriação (adjudicação, alienação – iniciativa particular ou leilão, apropriação de frutos e rendimentos de empresa ou de outros bens) de bens do executado, ressalvadas as execuções especiais, conforme art. 824, NCPC. Será iniciada com a execução com petição inicial, sendo feito realizado o juízo de admissibilidade, com possibilidade se emendar a inicial. Feito o recebimento, será feita a citação tendo o executado o prazo de 3 dias para realizar o pagamento, sob pena de realização de penhora.

      São impenhoráveis o rol do art. 833, NCPC.

      3 Sujeitos da relação processual

      Exequente, aquele que tem legitimidade originária da execução, o credor de um título executivo, ou aquele que assume a legitimidade de forma derivada, como no caso do espólio ou sucessores de devedor falecido que não sejam devedores de obrigação personalíssima, o sub-rogado ou cessionário; e executado, polo passivo, o devedor reconhecido no título executivo, fiador, novo devedor, que adquiriu o crédito, responsável tributário definido em lei.

      4 Responsabilidade patrimonial

      O indivíduo não responde com a sua liberdade por não ter adimplido a obrigação, salvo a única prisão civil que resiste até os dias atuais, qual seja a prisão civil por dívida alimentar. Mas responderá com todos os seus bens, presentes e futuros, salvo aqueles protegidos por lei, que são os bens impenhoráveis, seja esta absoluta ou relativa.

      5 Ato atentatório a dignidade da justiça

      Considera-se ato atentatório a dignidade da justiça, seja ela omissiva ou comissiva, as seguintes condutas: fraude à execução (alienação, dilapidação patrimonial), que difere da fraude contra credores que se encontra no art. 158 e seguintes, CC; se opõe maliciosamente à execução, empregando meios ardis; dificulta ou embaraça a realização de penhora; resiste injustificadamente às ordens judicias; não indica ao juiz quais são e onde estão os bens passíveis de penhoras.

      6 Petição inicial

      A inicial irá apresentar os requisitos do art. 319 e seguintes, NCPC, podendo o credor indicar bens do devedor a serem levados a penhora, se conhecer destes. Caso o credor não tenha estas informações, será o devedor intimado a indicar estes bens, caso não o faça, cometerá ato atentatório a dignidade da justiça, ficando condenado ao pagamento de multa não superior a 20% sobre o valor atualizado do débito (não do valor da causa) que será revertida em favor do exequente.

      7 Desistência da execução

      Possibilidade de desistência da execução toda, ou apenas alguns dos atos executivos, devendo ser avaliada a posição do embargante. Se não impugnou ou embargou o executado não será necessária a sua anuência. Se sim, será extinta a impugnação e os embargos à execução se estas versarem apenas sobre questões processuais, com o pagamento de custas pelo exequente. Quando não se tratar somente de matéria processual, estará a desistência do exequente dependerá da anuência do embargante.

      Em caso no qual a execução seja tida como inverdade, haverá a cobrança de multa e condenação por litigância de má-fé podendo o executado ter direito a cobrar por qualquer coisa que a execução possa vir a ter lhe prejudicado.

      8 Embargos à execução

      Caso o executado queira se defender, oferecerá embargos à execução em 15 dias, que serão atuados em apartado, sendo iniciado com uma petição inicial. Havendo a possibilidade de se penalizar advogado, ao se verificar a existência de documentos falsos.

      Reconhecendo o crédito do exequente, o executado poderá pagar 30% do valor total do crédito e requer o parcelamento do restante em até seis vezes. Essa opção implica na perda do direito de opor embargos.

      9 Meios de impugnações judiciais

      Dentre os meios de impugnações judiciais há recursos, reforma, aprimora ou altera as decisões judiciais; ações autônomas de impugnação, origina novos processos para combater decisões judiciais; e sucedâneos recursais, não se confundem com recursos nem com ações autônomas.

      Quer se aprofundar no estudo jurídico? Confira aqui esses livros de Direito Processual Civil:

      CURSO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL - V.1 - INTRODUÇÃO AO DIREITO PROCESSUAL CIVIL, PARTE GERAL E PROCESSO DE CONHECIMENTO (2024) (Volume 1)

      R$ 189,90
      R$ 159,21
       em estoque
      21 novos a partir de R$ 153,70
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:53

      Direito processual civil - Coleção Esquematizado - 15ª edção 2024

      R$ 342,70
      R$ 233,63
       em estoque
      9 novos a partir de R$ 233,63
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:53

      Especificações

      • Livro

      Manual de Direito Processual Civil - Volume único (2024)

      R$ 259,90
      R$ 233,91
       em estoque
      8 novos a partir de R$ 229,90
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:53

      Imagens: pixabay.

      Continuar lendo

      Dicas

      Citação: como referenciar em um artigo científico?

      Avatar

      Publicado

      em

      Citação: como referenciar?

      Olá, caros leitores! A Equipe Direito Diário se esforça bastante para sempre estar lançando novos projetos para a disseminação do conhecimento jurídicos e, recentemente, lançamos nossa revista científica, com certificação ISSN.

      Com o fim de auxiliar todos aqueles que desejam submeter artigos para a revista, estaremos postando uma pequena série de dicas sobre metodologia e normatização científica. Nesse texto, falaremos um pouco sobre como devemos referenciar uma citação.

      O que é uma referência?

      Peguemos a definição de dicionário: “[…] 3. Menção, registo. […] 5. Conjunto de qualidades ou características tomado como modelo” (PRIBERIUM, 2018). Vemos, portanto, que referência tanto pode significar um registro direto, como algo que fez menção, um paradigma.

      Pelo primeiro sentido, a referência seria o ato de referenciar, de relatar a procedência de uma transcrição de ideia no seu texto (tal como fiz a transcrição da definição no início desse parágrafo), podendo ela ser uma citação direta ou uma citação indireta.

      Pelo segundo sentido, a referência seria a obra ou a ideia que irá guiar determinada parte do seu raciocínio. Nesse sentido, as suas ideias serão guiadas pela concordância ou pelo confronto com uma ideia preexistente. Esse sentido de referência, contudo, é assunto para um outro texto no futuro.

      A partir desse momento, sempre que falarmos de “referência” será relacionado ao primeiro sentido.

      Quando devo fazer a citação de uma referência no meu texto?

      Essa pergunta é deveras importante, pois o seu não cumprimento correto pode levar ao plágio (art. 184 do Código Penal). Sempre que for citada uma ideia, um dado ou um raciocínio que não seja seu, que você tenha lido em algum lugar, deve-se registrar o local onde você encontrou tal informação.

      Existem dois padrões mais conhecidos de citação: o “Autor-Data” e o “Nota de Rodapé”. No primeiro, a referência deve ficar entre parênteses constando o sobrenome de cada autor ou o nome de cada entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação separados por “ponto e vírgula”, seguido(s) do ano de publicação do documento e da(s) página(s), da citação; todos separados por “vírgula”. 

      Caso o autor da referência seja citado no parágrafo antes de sua citação, você poderá colocar entre parênteses ao seu lado apenas o ano e a página (NORMAS E REGRAS, 2018).

      Exemplo extraído do texto A coação ilegal e o Habeas Corpus (grifo nosso)

      Amplamente utilizado nas ações penais, é considerado uma ação autônoma de impugnação no Direito Processual Penal e visa a prevenir e remediar restrições de ilegais ou abusivas de liberdade de locomoção. Nesse sentido, o HC pode ser aplicado para impugnar qualquer ato judicial, administrativo e, até mesmo, ato de particulares (LIMA; 2017; p. 1757).

      Já a segunda forma de citação consiste em criar uma nota de rodapé ao final da citação, onde o autor do texto deverá especificar completamente a obra de onde extraiu a ideia. Para os vários tipos de fontes, há uma forma específica de referenciação, não sendo viável demonstrar todas nesse espaço. Isso posto, irei limitar a abordagem à referências de livros. 

      Para isso, utilize o “macete” ATELEA + página: Autor (último sobrenome em caixa alta seguido pelo restante do nome, separados por vírgula). Título (em negrito, caso haja subtítulo ele deverá ficar sem negrito). Edição (não há necessidade se for 1ª edição). Local de Lançamento (caso não haja essa informação, deve-se usar o local principal da editora). Editora. Ano. Página(s) onde encontrou tal(is) informação(ões).

      E os Ebooks?

      Os ebooks, como se sabe, não apresentam uma numeração de página, em face de seu formato. Nesse caso, você deverá colocar “ebook” no lugar da página. Isso será válido tanto para a referenciação “Autor-Data” quanto para a “Nota de Rodapé”.

      Exemplo extraído do texto A coação ilegal e o Habeas Corpus (grifo nosso)

      O Habeas Corpus, portanto, tornou-se constante no ordenamento jurídico brasileiro, presente também no Código de Processo Penal Brasileiro, de 1941 (PACELLI; 2017; ebook).

       

      E qual o modelo adotado no Direito Diário?

      Por seu aspecto mais simplificado, o modelo “Autor-Data” é o utilizado tanto na publicação da Revista Direito Diário quanto nos textos postados no portal virtual.

      Quer se aprofundar no estudo jurídico? Confira aqui esses livros de Metodologia:

      Manual de Metodologia da Pesquisa no Direito - 9ª edição 2023

      R$ 265,70
      R$ 112,29
       em estoque
      19 novos a partir de R$ 106,26
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:28

      Especificações

      Edition
      Language Português
      Number Of Pages 368
      Publication Date 2023-01-18T00:00:01Z

      Metodologia da Pesquisa em Direito - 3ª edição 2023

      R$ 220,60
      R$ 94,10
       em estoque
      16 novos a partir de R$ 88,22
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:28

      Especificações

      Edition
      Language Português
      Number Of Pages 592
      Publication Date 2022-12-07T00:00:01Z

      Metodologia da Pesquisa Jurídica - 18ª edição 2024

      R$ 226,10
      R$ 132,84
       em estoque
      11 novos a partir de R$ 130,00
      frete grátis
      Amazon.com.br
      atualizado em 13 de julho de 2024 16:28

      Especificações

      • Livro
      Referências:
      DICIONÁRIO PRIBÉRIUM. Referência. Disponível em: <https://www.priberam.pt/dlpo/refer%C3%AAncia>. Acesso em 15 jul 2018.
      NORMAS E REGRAS. Citação Direta e Citação Indireta nas Regras: Normas ABNT. Disponível em: <http://www.normaseregras.com/normas-abnt/citacao-direta-indireta/>. Acesso em: 24 jul. 2018.
      Imagem: pixabay.

      Continuar lendo

      Trending

      Direito Diário © 2015-2024. Todos os direitos reservados.