STJ entende que jogadora compulsiva não é obrigada a pagar dívida à casa de bingo

A Terceira Turma do STJ manteve decisão do TJMG que desobrigava uma jogadora compulsiva a pagar uma dívida, no valor de R$ 28.000,00, contraída em uma casa de bingo. A ação fora ajuizada pela jogadora que, diagnosticada como jogadora compulsiva, requeria a anulação de título de crédito emitido em favor da casa de jogos. A […]