Ainda em 2010 foi aprovado, durante reunião dos representantes dos países integrantes do Mercosul, o modelo único de placas de trânsito para todos os países integrantes do bloco econômico latino-americano.

O novo modelo que será implantado, gradualmente, nos próximos dez anos, no Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela, estava previsto para se tornar obrigatório no Brasil a partir do ano de 2016, no entanto o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) adiou para o ano de 2017 a obrigatoriedade das placas veiculares padronizadas.

Referida alteração fora publicada no Diário Oficial da União dia 30/04/2015, sendo a nova data de vigência da obrigatoriedade do uso da placa padronizada pelo Mercosul, no Brasil, o dia 01/01/2017.

Inicialmente somente veículos de transporte de mercadorias e passageiros serão obrigados a atualizar suas placas, sendo facultativo aos veículos de passeio atualizar-se até o ano de 2019, a partir de quando também serão obrigados a trocar suas placas veiculares.

O novo modelo de placas é inspirado no modelo atualmente utilizado pela União Européia, composto por sete caracteres, dentre estes duas letras, três números e mais outras duas letras.

Neste novo padrão serão suprimidos os nomes da cidade e estado de onde cada veículo é proveniente, por outro lado marcas d’água com o nome do país e do Mercosul estarão grafadas na diagonal das placas, com o objetivo de dificultar falsificações.

Acredita-se que, munido de tecnologia, o novo sistema terá elementos extras de segurança para dificultar a clonagem. Além disso, aponta-se que a mudança permitirá integrar os bancos de dados dos cinco países nos próximos anos, se tornando um grande marco da integração latino americana.

Uma das razões pela qual o Brasil concordou com a mudança e decidiu aderir ao sistema, diz respeito à quantidade de combinações diferentes de caracteres possíveis de se criar no modelo atual e o aumento do número de veículos em circulação no país.

É que segundo o Governo Federal serão possíveis mais de 450 milhões de combinações diferentes após a implantação do novo padrão, enquanto que o atual modelo brasileiro permite apenas aproximadamente 175 milhões de combinações.

Fundamenta-se que o padrão de caracteres adotados hoje pelo Brasil, com três letras e quatro números, utilizado desde os anos 1990, se tornará defasado até 2030 devido a previsão de aumento da quantidade de automóveis.

Evidente é a necessidade de mudança do padrão adotado quando se está prevendo uma possível estagnação do modelo em uso. Por esta razão é preciso despertar a população brasileira para a discussão a respeito da melhor padronização para as próximas décadas, assim se faz importante a pesquisa minuciosa dos padrões adotados em países e blocos econômicos os quais administram seu trânsito da melhor maneira.

A solução escolhida deve ser aquela a qual se possa manter pela maior quantidade de tempo possível, evitando o transtorno que mudanças desta monta acarretam.

O Brasil vem modificando o padrão de caracteres das placas de trânsito desde o ano de 1901, quando as placas continham apenas cinco dígitos e o prefixo A referente a aluguel, ou P em alusão a qualidade de veículo particular.

Esse padrão foi substituído 40 anos mais tarde para uma sequência de dígitos que poderia conter de três até sete caracteres à depender do Estado do Brasil.

Em 1969 aderimos ao modelo o qual consistia em duas letras e quatro números, bastante criticado por permitir que carros de Estados diferentes trafegassem com a exata mesma combinação, o que foi corrigido pelo sistema atual que abrange todo o território nacional.

Segundo o Itamaraty, a próxima unificação do sistema de placas de trânsito, que desta vez englobará os cinco países do Mercosul, facilitará a circulação e a segurança no trânsito entre países do bloco, contribuindo, por exemplo, para melhor fiscalização aduaneira e migratória. Todavia a discussão sobre o assunto ainda precisa ser oxigenada através dos diversos meios de comunicação, pouco difundida que está em meados do ano de 2015.


Referências:
http://desafios.ipea.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2502:catid=28&Itemid=23
http://www.brasil.gov.br/governo/2014/12/veiculos-terao-placas-no-padrao-mercosul-a-partir-de-2016
http://www.gazetadopovo.com.br/automoveis/paises-do-mercosul-terao-placa-unica-a-partir-de-2016-eepfr3c5uu2ejh6alzwd2di6m
http://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2014/12/04/carros-zero-quilometro-ja-terao-novas-placas-do-mercosul-em-janeiro-de-2016.htm
http://g1.globo.com/carros/noticia/2014/12/denatran-apresenta-novas-placas-de-automoveis-no-padrao-do-mercosul.html
http://blog.planalto.gov.br/brasil-tera-modelo-de-placas-de-veiculos-unificado-com-o-mercosul/
http://wp.clicrbs.com.br/gilbertoleal/2015/04/30/unificacao-de-placas-de-veiculos-do-mercosul-e-adiada/?topo=13,1,1,,,77

Precisa falar com um advogado?

Preencha o formulário e entraremos em contato com você.

Obrigado! Entraremos em contato.
Opa, um erro ocorreu.